EXPECTATIVA

Mogi das Cruzes busca recursos para construir Estação Cultura

LOCAL Prefeitura de Mogi assinou há cinco anos termo de parceria com a CPTM a fim de usar área dos antigos galpões da estatal para implantação da Estação Cultura. (Foto: arquivo)

Há pouco mais de cinco anos, a Prefeitura de Mogi das Cruzes assinou termo de parceria com a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) que permitia o uso da área dos antigos galpões da estatal pela administração municipal. O objetivo era que o local abrigasse a Estação Cultura. No entanto, segundo a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, o espaço de 2,2 mil m² continua à espera de recursos para realizar as intervenções.

O projeto divulgado pela pasta à época previa a destinação do espaço à formação artística em áreas como dança, circo, teatro, música e artes visuais. Para isso, a estimativa de investimento é de R$ 1,5 milhão na execução do projeto.

De acordo com a pasta, a Prefeitura tenta captar recursos necessários para execução da obra de diversas maneiras. O projeto foi inicialmente cadastrado no Fundo de Interesses Difusos (FID), da Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania e chegou a ser aprovado na primeira etapa, porém na segunda não foi contemplado. Ainda na tentativa de obter o valor, a pasta fez o cadastro no Fundo de Defesa dos Direitos Difusos (FDD), do Ministério da Justiça, e também protocolou o projeto na Plataforma Mais Brasil, solicitando o recurso de R$ 1,6 milhão.

A Estação Cultura teria a entrada pela avenida Francisco Rodrigues Filho, com rampas de acessibilidade. O casarão contaria com uma sala multiuso de 115 metros quadrados, destinada à dança, circo e ensaios da Orquestra Sinfônica de Mogi das Cruzes, equipada com vestiários, depósito de equipamentos e mezanino para onde seria transferida a parte administrativa da orquestra, com salas de reunião e do maestro.

Além disso, a ideia contempla um teatro de arena de 150 metros quadrados, com capacidade para 180 lugares, além de salas destinadas a camarins, parte técnica, sanitários e depósito de equipamentos.

No pátio externo coberto, com 460 metros quadrados, seria instalado um palco para atividades artísticas. O projeto contempla ainda uma nova edificação com duas salas de teatro, duas de artes visuais e duas de música, além de recepção, setor administrativo, sala de reunião e do coordenador.

Atualmente, os galpões seguem desocupados, mas recebem os trabalhos de limpeza pelas equipes de manutenção, segundo informou a Prefeitura.

Deixe seu comentário