FLEXIBILIZAÇÃO

Mogi das Cruzes registra pior índice de isolamento social desde o inicio da quarentena

Com a reabertura de parte do comércio e o apelo das compras do Dia dos Namorados, Mogi das Cruzes registrou na última sexta-feira o pior índice de isolamento social desde o início da quarentena no Estado, que teve início em 24 de março. De acordo com dados do Sistema de Monitoramento Inteligente do governo estadual, a reclusão na data foi de 44%. O número, porém, tem pouca diferença do que o observado nos últimos dias: a média de reclusão da semana passada foi de 46%, evidenciando que não é novidade encontrar movimento intenso nas ruas, mesmo antes do início da flexibilização das lojas e serviços.

Autoridades sanitárias recomendam 70% de adesão como ideal para resultados mais eficazes no combate ao SARS-CoV-2, o novo coronavírus.

Os índices de isolamento de ontem não foram disponibilizados até o fechamento desta edição. A reportagem de O Diário voltou às ruas da região central de Mogi e encontrou grande fluxo de pessoas, porém, menor que o visto durante o final de semana, quando já era esperado movimento mais intenso.

“Acredito que a retomada foi feita sem tumultos. A verdade é que o movimento já estava forte, os comerciantes têm feito sua parte, agora contamos com a ajuda da população”, relata o comerciante Nemias Tenório.

Uma tendência constatada é o aumento do número de pessoas que deixaram de usar máscaras de proteção. Muitos abaixam o acessório para comer nas ruas, comportamento que, segundo especialistas, deve ser evitado.

O movimento maior foi observado nas proximidades do Mercadão e no largo do Rosário. Nas demais ruas, comerciantes não encontravam dificuldades para controlar o limite de pessoas dentro dos estabelecimentos. No Mogi Shopping, o movimento se manteve ameno.


Deixe seu comentário