INFORMAÇÃO

Mogi poderá implantar o Programa Moeda Verde

OBSERVADOR O visitante solitário, de seu banco, acompanha invasão das águas do rio Tietê no interior do Parque Centenário. (Foto: Elton Ishikawa)

Proposta de vereadora estimula reciclagem e fortalece a agricultura

Um programa de reciclagem de lixo orgânico adotado, com sucesso, no município de Santo André, na região do ABC, poderá servir como modelo para Mogi das Cruzes, caso seja acolhida a proposta da vereadora Fernanda Moreno (PV). Nas volta do recesso, ela apresentou um projeto de lei que pede a implementação, no município, do “Programa Moeda Verde” A proposta é ousada e tem como principal objetivo estimular os moradores a trocar lixo reciclável por “moedas verdes”, que lhes darão direito à troca por frutas, verduras e legumes frescos, vindo diretamente dos produtores rurais da cidade. Para ser implantado, o projeto depende da participação da Prefeitura, que ficaria encarregada de adquirir os hortifrutigranjeiros de produtores rurais, cooperativas ou associações municipais, que seriam trocados por determinadas quantias de lixo reciclável apresentadas pelos munícipes. “Além de ajudar a melhorar a alimentação de famílias, ainda iremos contribuir para a diminuição dos pontos viciados de descarte irregular de lixo, estimular a reciclagem do lixo pela população, promovendo educação ambiental e revitalização de áreas degradadas no município, além de estimular a agricultura familiar, de quem os hortifrútis poderão ser prioritariamente adquiridos”, diz Fernanda. O gasto com a aquisição das verduras e legumes será compensado pela redução no volume de lixo coletado, ou retirado de lixões espalhados pela cidade. Em Santo André, onde o “Moeda Verde” surgiu, há dois anos, mais de 230 toneladas de lixo foram transformadas em 46 toneladas de alimentos frescos, entregues aos moradores.Amparo, Volta Redonda e Mauá, além de São Paulo, adotaram o programa.

Luto

Foi sepultado, domingo, no cemitério Getsêmani, em São Paulo, o corpo de Mariglei Tosati Pradella, 67 anos, falecida na madrugada do último sábado, vítima de câncer. Ela chegou em Mogi no ano de 1975 para trabalhar no Banco do Brasil. Também prestou serviços à Prefeitura, Associação Comercial, tendo encerrado sua carreira como diretora-financeira do Semae, em 2014. Deixou o marido Walter Pradella, os filhos Bruno e Paula, e as netas Manoela e Maitê.

Chuvas

O aguaceiro que desabou sobre São Paulo, no dia de ontem, impediu que o secretário Marco Vinholi, de Desenvolvimento Regional do Estado, viesse até Mogi para um encontro com prefeitos da região. Vinholi era esperado para reunião com os integrantes do Condemat, onde deveria tratar de investimentos na região do Alto Tietê.

Sem cabeça

As comissões permanentes da Câmara já foram escolhidas, com seus respectivos presidentes, membros e suplentes. Só o Conselho Permanente de Ética e Decoro Parlamentar ainda não. Até o início da tarde de ontem, o site do Legislativo indicava como presidente o vereador Mauro Araújo (MDB), que se afastou do cargo após se tornar alvo de investigações pelo MP, no final do ano passado.

Com candidato

O ex-prefeito e deputado federal Marco Bertaiolli (PSD) disse ontem à jornalista Marilei Schiavi, na Rádio Metropolitana, que o PSD terá candidato a prefeito em Mogi, nas eleições deste ano. Uma exigência da Executiva Nacional do partido. Segundo ele, o novo formato das eleições impõe que os partidos lancem candidatos nas cidades onde há chances de segundo turno. Ele admitiu a possibilidade de vir a se o candidato, citando ainda os nomes dos vereadores Antonio Lino e Edson Santos.

Frase

O povo deve ser poupado de saber como são feitas as leis e as salsichas.

Winston Churchill (1874-1965), político conservador e estadista britânico


Deixe seu comentário