BASQUETE

Mogi tenta lugar na Copa super 8

Franca e Mogi fizeram jogo equilibrado, na noite do último sábado, pelo Paulista. (foto: Newton Nogueira, Franca Basquete)

O Mogi/Helbor terá mais três partidas para fechar o primeiro turno da 11ª edição do Novo Basquete Brasil (NBB11) entre os oito melhores colocados para se classificar para a Copa Super 8 – torneio que reunirá os oito primeiros colocados do primeiro turno do nacional e dará ao campeão uma vaga na Liga das Américas da próxima temporada (veja matéria nesta página). Dos últimos confrontos programados, os dois primeiros serão no Ginásio Municipal Hugo Ramos, no Mogilar – contra Joinville (nesta quinta-feira) e Corinthians (próximo sábado). O grupo do técnico Guerrinha ainda jogará contra o Vasco, dia 14, no Rio de Janeiro.

E o primeiro desafio será diante de um time que briga com o Mogi para se manter no G-8, visando a Copa Super 8. Hoje os mogianos ocupam o sexto lugar no NBB, com 60% de aproveitamento dos jogos, com seis vitórias e quatro derrotas.

Já o rival catarinense está no 8º posto, com 44,4% de aproveitamento – quatro vitórias e cinco derrotas, na linha de risco para integrar a Super 8, e com Vasco e Corinthians na sua cola – ambos com 40% de aproveitamento – quatro vitórias e seis resultados negativos.

Desta forma, os próximos jogos possuem importância em dobro porque uma nova sérei de resultados positivos deixarão o Mogi na cola do G-4 e vão sacramentar a vaga para a Super 8.

O time mogiano voltou aos treinos ontem e a maior meta do técnico Guerrinha é ajustar o sistema defensivo do time mogiano. O o time sofreu 828 pontos, após 10 partidas no NBB. A defesa só não é melhor do que o líder Franca ( 854) e Bauru (874). “Gostei muito não só da parte física, mas também da intelectual do time. Os jogadores participando muito, interagindo muito entre eles, e nós da comissão colocando coisas diferentes para valorizar a defesa, as bolas perdidas. Então, tudo o que a gente avaliou e viu que precisava mudar, coisas recorrentes, tentamos solucionar, disse o treinador.

Apesar do problema no setor defensivo, a equipe mogiana é a segunda mais eficiente do nacional no ataque, com 875 pontos em 10 partidas, e líder em assistências, com 20,3 de média. O maior número de pontos está com Franca – 966 em 11 confrontos. “É preciso ter equilíbrio para ser muito mais racional no jogo do que emocional. Em relação aos treinos, a equipe evoluiu demais. Essas paradas sendo bem usadas para correções de rotas. A gente sabe que o grande problema nosso na temporada tem sido a defesa. Não só ela, mas também a forma que ataca e não dá um equilíbrio na defesa. E nós temos trabalhado bastante isso”, finalizou Guerrinha.