Mogiana entre os melhores no Rio

 Jaqueline corre em pista do Naútico, onde treina há 15 anos / Foto: Eisner Soares
Jaqueline corre em pista do Naútico, onde treina há 15 anos / Foto: Eisner Soares

As três medalhas de ouro no Circuito Caixa Loterias, em março, na Capital Paulista, valeram um convite e colocaram de vez a paratleta mogiana Jaqueline Gonçalves de Oliveira no radar da Seleção Brasileira paralímpica de atletismo, que terá força máxima no Open Internacional Caixa Loterias da modalidade. Ela estará ao lado de corredores que competiram no Mundial de Doha, em outubro passado, nas provas no Estádio Olímpico (Engenhão), de hoje a sábado, e que servirão como evento-teste para os Jogos Paralímpicos Rio-2016.

É a primeira vez que uma paratleta mogiana é convocada para uma competição internacional. Esta edição do Open reunirá ao todo 316 atletas de 23 países.

Entre eles, estão nomes como o da cubana Omara Durand, atual campeã e recordista mundial dos 100m, 200m e 400m da classe T12 (baixa visão) entre outros atletas de várias classes e provas.

O convite para as provas no Rio de Janeiro, feito pela Comissão Técnica do Atletismo do Brasil, chegou no dia 7 de março – logo após a participação de Jaqueline nas provas no Ibirapuera.

A mensagem emocionou toda a equipe de paradesporto do Clube Náutico Mogiano/Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (Smel). “Nós fomos ler o convite e não acreditávamos. Fiquei trêmula e a vontade era de chorar. Chorar de muitas emoções já vividas quando eu era atleta e as minhas provas eram de velocidades 100 e 200 m rasos, passa uma sensação de amor ao esporte de mãe para filho”, disse a professora Maria de Lourdes da Rocha, a Lurdinha, coordenadora e técnica da Equipe Paradesportiva mogiana, sem esconder toda a sua emoção.

Jaqueline, 20 anos, é estudantes de Educação Física da Faculdade do Clube Náutico Mogiano. Moradora do Bairro da Vila Moraes, ela é a primeira colocada no Ranking Nacional e, a partir desta competição e dependendo de sua classificação, entrará no ranking internacional.

Portadora de sequela de paralisia cerebral, ex-paciente da clínica de Fisioterapia da faculdade e indicada para natação, ela pratica a modalidade com a equipe do Náutico há 15 anos.

Jaqueline iniciou o esporte com natação terapêutica, visando preparação para competições. “Ao participar do Circuito Loterias Caixa, ela obteve a terceira melhor marca nacional na prova de 100 metros nado costas”, informou Lurdinha.

Mesmo gostando do contato direito com a água, Jaqueline sempre teve vontade de competir no atletismo. Mas foi apenas em 2014 que a professora Lurdinha sentiu que era o momento de iniciar a paratleta na nova modalidade.

Seus treinos começaram com o arremesso de peso e disco, lançamento de dardo e corrida de 100 metros. Logo em sua primeira competição, Jaque, como é conhecida entre os colegas de treino, se destacou na corrida, conquistando o primeiro lugar nos Jogos Regionais de Osasco de 2014, resultado suficiente para Lurdinha investir nos treinamentos de corrida dos 100 m, 200 m e salto em distância.

Há dois anos a equipe do Náutico faz uma preparação técnica especifica para o atletismo, analisando a classificação funcional e o resultado das provas de Jaqueline.

Para chegar até o Open, Jaqueline contou com a ajuda de diversos profissionais, desde seus técnicos e treinadores, da clínica de fisioterapia da Faculdade Náutico, de médicos e tradutores, para enviar a documentação em inglês para a competição.

No final do ano passado, a mogiana foi vice-campeã nas provas dos 100 e 200 metros rasos na categoria T37 e foi terceira colocada no salto em distância na classe F37.

Em março deste ano, na primeira Etapa Circuito Regional Loterias Caixa organizado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Jaqueline bateu o recorde nacional na prova de 200m rasos, e obteve índices nas provas de 100 m rasos e salto distância – na classe F37. “Sem apoio fixo financeiro conseguimos essa proeza. Imagina se tivéssemos o mínimo de apoio, onde estaríamos? Não é para qualquer um!”, desabafou Lurdinha. (Gerson Lourenço)