'CLOWNS'

Mogianos lançam filme de terror

Curta metragem 'Clowns' é inspirado em casos reais de palhaços que aterrorizaram as ruas dos Estados Unidos em 2016. (Foto: Divulgação)
Curta metragem ‘Clowns’ é inspirado em casos reais de palhaços que aterrorizaram as ruas dos Estados Unidos em 2016. (Foto: Divulgação)

Obter centenas de milhares de visualizações a partir de um fan film baseado em um dos animes mais famosos que já existiu, Cavaleiros do Zodíaco, não foi o suficiente para a produtora mogiana e independente Raciocinando Filmes. De olho em novos caminhos, a equipe da pequena empresa acaba de lançar ‘Clowns’, curta metragem de terror inspirado em casos reais de palhaços que aterrorizaram as ruas dos Estados Unidos em 2016.

Todos os 17 minutos e 33 segundos do curta, além de uma série de vídeos de making of estão disponíveis no canal da produtora no YouTube. Lá, o público pode acompanhar a história de Douglas (Felipe Paixão), estudante de jornalismo aficionado por aparições de palhaços macabros, que se surpreende quando essas situações começam a acontecer no bairro Vila Suiça (isso mesmo, à semelhança da Vila Suíssa, do distrito de César de Souza, em Mogi das Cruzes, onde foram feitas as gravações).

A história segue com a valentia do protagonista, que decide investigar os sinistros casos por conta própria. Além dele, outros seis atores (Allan Gonçalves, Raul Rodrigues, Caio Ferreira, Renata Abreu, Matheus Palma e Aline Araújo) aparecem na tela, todos em trabalho voluntário, por diversão e hobby. Como conta o líder dessa trupe, o publicitário Nando Rodrigues, a ideia para ‘Clowns’ surgiu ainda em 2016, e agora saiu do papel “para mostrar a versatilidade do cinema independente”.

“Depois que lançamos ‘A Lenda de Fênix’, em 2018, pensamos que era preciso continuar com outra produção. Tínhamos algumas opções e vimos que essa, de terror, já estava pronta para fazer, então iniciamos um trabalho de pesquisa e fomos à São Paulo comprar figurinos, máscaras e outros materiais”, diz ele.

Na verdade, o público local teve, no ano passado, a oportunidade de conferir o filme, ainda que ele não estivesse finalizado. Isso porque no último mês de outubro a Raciocinando organizou o evento ‘Cine Haloween’, no Centro Cultural, onde rolou uma pré-exibição da película. Uma nova edição desta agenda deve acontecer em 2019, porém ainda não há data ou local confirmados.

Entre gravação e edição ‘Clowns’ levou seis meses para ficar pronto, e o investimento ficou na casa dos mil reais, “do bolso mesmo”, como lembra Nando, ao sonhar com o futuro do cinema independente. “É uma arte que está tomando forma. Temos muito a aprender, mas também temos um sonho alto: alcançar repercussão em nível nacional”.

Além da atuação e efeitos especiais, a trilha sonora é um dos pontos fortes do curta de terror. Nando diz qual foi a referência para ‘Clowns’: “Também sou músico e toco rock desde a adolescência, então vi a oportunidade de colocar um pouquinho disso. Aliás, a música dos créditos é da banda After, de Mogi”.

Creditado como diretor, produtor e roteirista, o publicitário revela que já pensa no próximo filme, talvez com lançamento ainda em 2019. “Fizemos um de ação e um de horror, então estão faltando um de comédia, meu gênero favorito, e um de drama. Ainda não podemos revelar detalhes, mas já temos materiais sendo produzidos”. Outro dos “segredos” da Raciocinando está relacionado à Lei de Incentivo à Cultura (LIC) de Mogi das Cruzes. “Temos um projeto aprovado, e devemos começar a captar patrocínio em breve”.

Canal já acumula 2,5 mil inscritos

Com conteúdos que se dividem entre cultura geek e cinema independente, o canal da Raciocinando Filmes no YouTube tem alcançado certa notoriedade. Os vídeos são lançados semanalmente, às terças-feiras, e vão desde curiosidades à entrevistas com grandes nomes do meio artístico, como a dubladora Beatriz Villa ou o comediante e apresentador de TV Danilo Gentili.

O conteúdo começou a ser postado em setembro do ano passado e já acumula 2,5mil inscritos. Trata-se de um trabalho natural para a produtora, que vem realizando diversos trabalhos na área publicitária, tanto em vídeos como em peças gráficas.

Como o principal produto da empresa é o curta-metragem ‘A Lenda de Fênix’, que chegou a ser compartilhado pelo portal IGN, um dos maiores do mundo dos games, o conteúdo da plataforma é todo pensado para o público nerd. “É uma demanda que tem aumentado muito nos últimos anos. Como sou fã dessas coisas desde criança e coleciono action figures (bonecos de ação) e outros itens, decidi falar disso, mas sem deixar o cinema independente”, conta o publicitário Nando Rodrigues.

Sobre os filmes, Nando afirma que divulgá-los na rede tem dado resultado positivo. “Meu intuito era mostrar para as pessoas que veem filmes de Holywood que existem boas produções independentes no Brasil, e na verdade tem aparecido muitas ofertas de parceria, como gente de Suzano, Jacareí e São José dos Campos chamando para fazer trabalhos por lá”.

Uma dessas oportunidades está relacionada à Danilo Gentili. Quando ele lançou o filme ‘Exterminadores do Além contra a Loira do Banheiro’ chegou a dizer o seguinte para Nando, durante uma entrevista: “Quando você for fazer alguma coisa me chama, hein?”. Depois dessa, os mogianos da Raciocinando estão preparando a “carta na manga” ideal para fazer o convite de modo oficial.

Trabalho do grupo viraliza e pode render novos vídeos

Além da Raciocinando, há outras produtoras independentes em Mogi. Uma delas é a Friends Group Entertainment, cujo proprietário, Felipe Guilherme, deu vida à Douglas, o protagonista de ‘Clowns’. Felipe também mantém um canal no YouTube, onde divulgou um clipe que virou fenômeno. Ao recriar o trailer do blockbuster ‘Shazam’, da DC Comics, ele e sua equipe, todos de Mogi, substituíram o super-herói de roupa vermelha por um de roupa verde, o Dollinho. É ele mesmo, o do refrigerante, só que sem a letra y, para “não dar processo”, como consta no próprio clipe.

O conceito é simples: no lugar da palavra mágica que dá título ao filme da DC, aqui basta beber líquido e dizer ‘Amiguinho’ para encarnar uma versão superpoderosa do refrigerante. A ideia, porém, era outra. Com grandes expectativas para o capítulo final da saga dos Vingadores, da Marvel, a intenção da equipe era fazer alguma coisa à Homem de Ferro, Thor, Capitão América e sua turma, mas devido aos recursos escassos os planos mudaram.

O que impressiona no clipe do Dollinho, que foi compartilhado à exaustão por diversas páginas de humor no Facebook, atingindo a marca de um milhão de visualizações, é que a equipe fez efeitos visuais muito bons mesmo com o orçamento de R$ 20,00. “Não abrimos mão da qualidade. Um dos meus objetivos é mostrar que é possível produzir com pouco, e podemos até produzir em menor quantidade mas sempre temos que evoluir”, diz Felipe.

“Tudo aconteceu de forma completamente despretensiosa. Não esperávamos que fosse ter toda essa repercussão”, continua o produtor, que além dos vídeos para internet se dedica à criação de filmes independentes e trabalhos publicitários.

Mesmo assim, segundo Felipe o canal não dá retorno financeiro direto, funcionando como uma vitrine para curtas e longas-metragens (a exemplo de ‘Filhos de Uma Terra Selvagem’, que fala sobre superstições e será lançado em breve). Aliás, o sucesso do Dollinho foi tanto que o ‘Amiguinho’ pode render, no futuro, novos vídeos. É ficar ligado para ver.