LITERATURA

Mogianos movimentam feira do livro no Largo do Rosário

Estrutura montada no Largo do Rosário oferece títular nacionais e internacionais a partir de R$5,00. (Foto: divulgação)
Estrutura montada no Largo do Rosário oferece títular nacionais e internacionais a partir de R$5,00. (Foto: divulgação)

Até o dia 7 de fevereiro, quem passar pelo Largo do Rosário poderá escolher cerca de 5 mil livros diferentes a preços populares, a partir de R$ 5. Dentre os autores, clássicos nacionais como Guimarães Rosa e Machado de Assis, mas não só eles. Também há títulos queridinhos do público jovem, como ‘Harry Potter’, a saga ‘Crepúsculo’, ‘A Culpa É Das Estrelas’ e muitos outros.

Parceria entre a prefeitura de Mogi das Cruzes, o sebo Império Cultural e a livraria Canto da Leitura, dos irmãos Dionísio e Jovailton Sampaio Vieira, da Zona Sul de São Paulo, a ação tem o objetivo de incentivar a leitura e por isso roda cidades como a própria capital mas também Guarulhos, Santo Amaro e agora Mogi pela segunda vez.

Dionísio, mais conhecido como Neto, tem 40 anos de experiência na área da literatura, e observa, com tristeza, que as pessoas têm lido cada vez menos. “Isso acontece por causa da internet e do celular. Muitos baixam PDFs com os conteúdos, mas lá só tem resumos, enquanto o papel oferece a experiência completa”.

Como faz este tipo de evento em vários municípios, Neto consegue avaliar o perfil de cada local, e acredita que Mogi esteja “mais carente” em termos literários do que a capital, “talvez por haver aqui poucas livrarias e sebos”. Mesmo assim, identifica que livros infantis, como a coleção ‘Diário de Um Banana’, tem boa saída, assim como os textos acadêmicos, de investimentos, Administração e Direito.

Outros títulos que chamam a atenção são os de Dan Brown, os de Nicholas Sparks, os de Sidney Sheldon e os de Zíbia Gasparetto. E também os mais simples, como os que ensinam receitas ou técnicas de pintura. “O importante é ler. Me lembro de uma senhora que não sabia ler e escrever, mas viu um livro de alfabetização e passou a estudar em casa”.

O público também aprova a iniciativa. Maria de José, 57, passou por acaso e aproveitou para procurar um livro para a filha. Letícia Barros, 15, também estava de passagem pelo local quando percebeu a feira e parou para procurar obras do universo geek. “Encontrei livros legais de super-heróis, com preços acessíveis. Ainda não decidi o que vou levar, mas vou escolher pelo menos um”.

Quem também avaliava as opções era o pequeno Luca, de 8 anos, acompanhado da mãe, a professora Tuani Novaes, 29. “Ele começou com aqueles livros de plástico, para levar ao banho. Depois passei a oferecer títulos de acordo com a faixa etária dele, e agora ele já até leu ‘Harry Potter’”, diz a mãe, que conta que foi o filho que descobriu a feira, que tem visitação gratuita de segunda-feira à sábado, das 8 às 20 horas.


Deixe seu comentário