SITUAÇÃO

Monumentos são alvo de vândalos em Mogi

Bustos de Getúlio Vargas, no São João, e do ex-prefeito Francisco Ribeiro Nogueira, no largo homônimo, estão pichados. (Foto: Edson Martins)
Bustos de Getúlio Vargas, no São João, e do ex-prefeito Francisco Ribeiro Nogueira, no largo homônimo, estão pichados. (Foto: Edson Martins)

Resguardar a história de Mogi das Cruzes – e também do País – é o principal objetivo da instalação de monumentos pela Cidade. Estas peças, entretanto, são muitas vezes alvo de vandalismo, com parte delas furtada, quebrada ou pichada. Para que possam ser conservadas, a Prefeitura afirma que, por meio das equipes do Departamento de Limpeza Pública e da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, busca realizar a manutenção constante nestes itens.

O Monumento aos Expedicionários, instalado entre as duas pistas da Passagem Subterrânea Oswaldo Crespo de Abreu, no Mogilar, era motivo de reclamações constantes pela falta de cuidados, já que, segundo a própria placa de identificação informa, representa uma homenagem aos heróis mogianos. Ontem, entretanto, a reportagem de O Diário constatou que a peça está em boas condições, assim como seus arredores, com a grama bem cortada, por exemplo.

Logo na entrada de Mogi, está postado “O Bandeirante”, uma enorme estátua de aço inoxidável, confeccionada pelo artista plástico mogiano Belini Romano. Inaugurada em junho de 2006, a peça está limpa atualmente, sem qualquer pichação ou defeitos. O mesmo acontece na Praça dos Imigrantes, onde as peças, que fazem uma homenagem à imigração japonesa na Cidade, também estão conservadas.

Os problemas ficam, agora, em dois bustos. Um deles, no bairro do São João, representa o ex-presidente Getúlio Vargas, falecido em 1954. O totem onde a peça fica está coberto de pichações. O mesmo acontece na estátua em homenagem ao ex-prefeito Francisco Ribeiro Nogueira, instalada no largo que também leva o nome do político, morto em 1994. As laterais da peça também estão repletas de pichações, enquanto a cabeça de Nogueira se encontrava, ontem, coberta por uma camiseta.

Segundo a Administração Municipal, o trabalho de limpeza faz parte da programação rotineira de serviços e também é realizado sempre que identificada a necessidade. Questionada sobre os bustos, a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos informa que a limpeza das peças para remoção da pichação já estava prevista e deverá ser realizada nos próximos dias. Os monumentos do Bandeirante e dos Expedicionários também recebem manutenção. Já a Praça do Imigrante é adotada pelo Bunkyo, que se responsabiliza por esses trabalhos.

Já sobre a ação de vândalos, a orientação para o cidadão que flagrar alguma situação do tipo é sempre acionar a Guarda Municipal, pelo telefone 153. A Secretaria Municipal de Segurança informa que a lei municipal 6562/11 estabelece multa de 50 Unidades Fiscais do Município (UFMs) para flagrantes de pichação. O valor, de R$ 8.364,50, corresponde a uma punição administrativa feita pela Prefeitura. Além disso, o responsável pela pichação é encaminhado ao distrito policial para responder no âmbito criminal por dano. Em caso de o flagrado ser menor, a multa é dirigida ao responsável.

A fiscalização fica por conta da Guarda Municipal e do Departamento de Fiscalização de Posturas, dentro do seu trabalho rotineiro. As câmeras da Central Integrada de Emergências Públicas (Ciemp) também oferecem apoio neste trabalho.