Morador denuncia som alto em restaurante de Mogi

NATAN LIRAMoradores das ruas Thuller e Pascoal Moreira Cabral, no Jardim Universo, convivem com o som alto de um restaurante e bar localizado na esquina entre as duas vias. Isso é o que conta um deles, que procurou O Diário para denunciar o estabelecimento. Segundo ele, barulhos de panelas, TV e som alto e até karaokê são registrados durante toda a noite. “Nós enfrentamos este problema desde 2015. São noites em claro, em um bairro residencial. Eles fazem festas de aniversário que duram a noite inteira”, pontua. No ano passado, 47 multas foram aplicadas em estabelecimentos e cidadãos que desrespeitaram as leis do Silêncio e do Pancadão, em Mogi das Cruzes, segundo a Prefeitura.

De acordo com o reclamante, que preferiu não se identificar, os moradores ficaram com medo de denunciar o caso depois que o local foi multado e o dono descobriu quem efetuou a denúncia. “A moça ligou no 156 e o guarda municipal falou para ele o nome de quem reclamou. Ela sofre retaliação até hoje”, diz. A Prefeitura confirma que o restaurante foi multado em R$ 4,5 mil, em abril de 2016, por desrespeitar a Lei do Silêncio. Entretanto, afirma que a Guarda Municipal não identifica os reclamantes. “Até porque os fiscais não recebem o nome do autor da denúncia, mas apenas o local da ocorrência”, informou.

Ainda de acordo com o morador, os frequentadores do local estacionam em frente às casas, impedindo os moradores de saírem com os carros. “É um desrespeito total. O pior é que temos medo de ir falar com eles, porque sabemos o que a moça sofre até hoje”, explica.

De acordo com a Prefeitura, as fiscalizações ocorrem diariamente. No primeiro contato, os agentes orientam os proprietários a cumprirem a legislação. Caso a medida educativa não seja respeitada, é aplicada a penalidade. Em caso de reincidência, o valor dobra. Em média, a cada 10 visitas, uma multa é aplicada.

O Executivo também informou que uma equipe de fiscalização irá ao local verificar a denúncia ainda nesta semana. “É importante lembrar que os cidadãos devem fazer as denúncias pelo telefone 156, da Ouvidoria Geral, que garante o anonimato do reclamante”, pontuou. 


Deixe seu comentário