CASO

Morador do Alto do Ipiranga é preso por injúria racial contra zelador, mas paga fiança e vai responder em liberdade

DIÁRIO

Acusado de praticar injúria racial contra o auxiliar de manutenção T.J.S, de 34 anos, chamando de ‘neguinho e macaco’ em meio a um palavrão, o desempregado Adnaldo José de Santana, de 55 anos, foi preso pela Polícia Militar no início da tarde desta segunda-feira, num prédio localizado no Alto do Ipiranga.

Adnaldo José foi apresentado ao delegado Denis Miragaia, de plantão no Distrito Central, em Mogi das Cruzes, e autuado em flagrante por injúria e a situação se agravou para o suspeito, pois teria cometido o crime em razão de raça e cor. A vítima que é zelador recebeu as ofensas em meio a várias pessoas.

Duas pessoas que testemunharam o crime e atuam numa empresa prestadora de serviço no prédio foram ouvidas como testemunhas.

O desempregado negou o crime. No final dos autos, o delegado Daniel Miragaia considerou que o indiciado Adnaldo tinha bons antecedentes, é réu primário, e assim, arbitrou a fiança no valor de R$ 1.045,00 correspondente a um salário-mínimo.

Depois de efetuar o pagamento, como ordena a legislação, ele foi liberado pela autoridade e responderá pelo crime em liberdade. Ontem, o desempregado seguia normalmente sem seu apartamento, onde reside.

O crime foi praticado na portaria do prédio de apartamentos e provocou indignação justamente no momento em que a população dos Estados Unidos entrou ontem no oitavo dia de manifestações naquele país depois de policial branco matar um cidadão negro após perseguição. No mundo a discriminação é intolerável.


Deixe seu comentário