SOCIAL

Moradores migram para rua do Shangai

AÇÃO SOCIAL Com as baixas temperaturas, a prefeitura, entidades e voluntários ampliam o atendimento a moradores de rua. (Foto: arquivo)
OCUPAÇÃO Parte do grupo de moradores ainda se mantém em praça. (Foto: arquivo)

Quem passou pela praça João Antônio Batalha, no bairro do Shangai, ontem pela manhã pode observar a redução no número de pessoas em situação de rua que ocupavam o espaço há alguns meses. Em número menor, alguns que ficavam nos bancos centrais mudaram de lugar e foram para o início da Navajas. Outros foram buscar abrigo embaixo das marquises do comércio da Avenida Francisco Rodrigues Filho, na altura o bairro Mogilar, onde já existe um grande população nessa situação. A Prefeitura informa que está monitorando a situação.

A Secretaria Municipal de Segurança Pública explica que não determinou que os moradores de rua deixassem o local, apenas designou que a Guarda Municipal permaneça com uma viatura na praça, o que acaba intimidando o grupo. Com a presença dos guardas, há uma inibição de hábitos como o uso de drogas e bebidas e as brigas entre os próprios integrantes do grupo.

Comerciantes e moradores reclamam que as disputas entre eles são constantes, e da perseguição sofrida por quem se recusa a dar dinheiro e comida a eles.

A Prefeitura confirma que uma parte do grupo de espalhou na cidade para buscar outros pontos. Afirma, ainda que “continua monitorando a situação e cada passos deles”. Segue também a tentativa de encaminhá los aos abrigos, onde há banho, roupa e alimento. O prefeito Marcus Melo (PSDB) determinou a permanência constante de uma viatura da Guarda Municipal após cobranças de moradores e comerciantes, e da ameaçada feita por uma parte dos moradores ao fotógrafo de O Diário, Edson Martins. Dois deles também ameaçaram invadir o prédio do jornal após reportagens sobre o problema.

O grupo de pessoas em situação de rua passou a ocupar o Shangai depois que a Prefeitura decidiu reforçar a fiscalização e manter uma viatura no Largo Bom Jesus, conhecido como praça São Benedito. A providência foi tomada também após os pedidos feitos por moradores e comerciantes do entorno da praça vizinha, aliás, do Shangai.