CASO

Motorista de acidente que matou 6 em Mogi é condenado a 48 anos de reclusão

DIÁRIO

Ao final de dois dias de julgamento, no Fórum de Mogi das Cruzes, Reginaldo Ferreira da Solva, de 46 anos, e Paulo Henrique Moreira Mota Batista, de 28 anos foram condenados, ontem, em razão de racha que provocou acidente com seis mortes, em setembro de 2013, na avenida Japão, no Conjunto Santo Ângelo.

Reginaldo pegou uma pena de 48 anos de reclusão a cumprir em regime fechado; já Paulo foi condenado a 37 anos e 4 meses. Ele está foragido desde a tragédia que aconteceu há seis anos e cinco meses. Reginaldo, sob escolta, retornou ao Centro de Detenção Provisória, no bairro do Taboão.

Os advogados de defesa dos réus ainda vão estudar se irão recorrer das sentenças, assim como o Ministério Público. No júri foi reconhecido pelos sete jurados que Reginaldo Ferreira foi o responsável pelo acidente ao dirigir em alta velocidade, forçar ultrapassagem pela esquerda, vindo a dar uma fechada no Fiat Palio, de Paulo, o qual colidiu com a traseira do Monza. Reginaldo perdeu o controle do seu carro que atropelou grupo de rapazes que conversavam na calçada. Seis deles morreram e outros oito ficaram feridos.

“O juiz foi formal, pois considerou a morte de uma das vítimas e acrescentou mais um sexto para conceder a pena. Depois levou adiante as oito tentativas de homicídio, em razão das vítimas feridas, e acrescentou ainda os crimes de omissão de socorro e fuga de local de acidente. A pena para o Reginaldo foi branda. Eu vou estudar, mas só recorro da decisão do júri se o meu cliente quiser ou a sua família”, afirmou um dos quatro advogados de Reginaldo, Edson Reis.

O promotor de Justiça José Floriano Alckmin Filho ao denunciar os réus por causar seis mortes e oito tentativas de homicídio, mostrou aos jurados todas as provas contidas no processo.


Deixe seu comentário