INFORMAÇÃO

MP quer o cumprimento de sentenças contra ex-prefeitos

XEQUE MATE Casal joga xadrez gigante, no Centro Cultural localizado na área central da cidade, proximidades da Catedral. (Foto: Fábio Palodette)

Promotor ajuíza duas ações com prazo de 15 dias para que réus devolvam dinheiro

O promotor de Justiça Giullio Chieregatti Saraiva ajuizou duas ações pedindo que sejam cumpridas as sentenças impostas a dois ex-prefeitos de Ferraz de Vasconcelos, na região de Mogi, Jorge Abissamra e Acyr dos Santos Filló, por “atos de improbidade administrativa praticados em concluo com secretários municipais e empresas do ramo da construção civil”, durante a execução de obras públicas naquela cidade. No processo envolvendo Jorge Abissamra foram condenados também Elias Abissamra, Roberto Tasso Martinelli, Hanna Sleima El Khouri e a empresa Construbem Engenharia e Construções. O Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP) pede que a Justiça dê prazo de 15 dias para que cada um dos réus pague a quantia de R$ 4.573.341,76, a título de ressarcimento ao erário público e do mesmo valor, a título de multa civil. Foi solicitada ainda a expedição de ofício ao Tribunal Regional Eleitoral do Estado de São Paulo comunicando a suspensão dos direitos políticos das pessoas físicas, além de que seja comunicado às pessoas jurídicas de Direito Público a respeito da proibição de todos os envolvidos de contratarem com o poder público. Segundo informa o Núcleo de Comunicação do Ministério Público, as mesmas medidas quanto à suspensão dos direitos políticos e proibição de contratar com o poder público foram solicitadas na ação que tem Acyr dos Santos Filló e a empresa MWE Pavimentação e Construção como polos passivos. Junto com tudo isso, também foi pedida a concessão de prazo de 15 dias para o pagamento de R$ 1.645.216,90. Em ambos os casos, a multa para eventual falta de pagamento dos valores deve ser de 10% do montante total. Vale lembrar que o ex-prefeito Acyr Filló encontra-se preso na Penitenciária de Guarulhos, depois de haver passado por outros presídios do Estado, entre eles, o de Tremembé, no Vale do Paraíba, onde ele escreveu o livro “O presídio dos famosos”, mostrando, em detalhes, como é vida de criminosos que ganharam notoriedade pela gravidade dos crimes por eles cometidos e que cumprem pena naquele centro de reabilitação. O livro, cuja comercialização foi proibida pela Justiça, continha alguns detalhes que acabaram provocando a transferência do ex-prefeito ferrazense para o presídio de Guarulhos.

Candidatura

No Encontro Regional do PSD, realizado domingo último, no Clube Náutico Mogi, com presenças de políticos do Alto Tietê, Vale do Paraíba e Litoral Norte, voltou a ser dito que o partido deverá lançar candidato próprio para concorrer à Prefeitura de Mogi das Cruzes, no próximo ano. A decisão foi avalizada pelo presidente nacional da sigla, Gilberto Kassab, também presente à reunião, que ocorreu em clima de confraternização de final de ano. Só ainda não foi dito quem será o candidato a prefeito da agremiação

Definições

Num encontro patrocinado pela Executiva do Diretório Municipal do PDT de Mogi das Cruzes, no último final de semana, ficou acertado que o partido deverá lançar o advogado Frederico Augusto dos Santos Costa, o Fred Costa, candidato a prefeito de Mogi das Cruzes, nas eleições municipais do próximo ano. O filho do ex-prefeito Waldemar Costa Filho já concorreu, sem sucesso, a duas eleições para deputado estadual: em 2002, pelo PSC, obteve 453 votos; e em 2014, pelo PT, saltou para 1.092 sufrágios.

Na espera

Enquanto o presidente Jair Bolsonaro tenta viabilizar seu novo partido, o Aliança pelo Brasil, de olho nas eleições de 2020, os integrantes do PSL de Mogi das Cruzes continuam aguardando ordens do deputado federal, Eduardo Bolsonaro, presidente estadual do partido em São Paulo, em relação ao futuro. “Faremos o que o presidente determinar”, afirma o secretário Silvério Nobre, garantindo que o PSL continuará existindo na cidade “até segunda ordem” do comando bolsonarista.

Retomada

Novos sinais de retomada do mercado imobiliário na cidade: a MRV, construtora de origem mineira, prepara o início das vendas de 800 apartamentos a serem construídos no início da Estrada do Beija-Flor, ao lado do trecho da avenida Francisco Rodrigues Filho que corta o bairro do Botujuru, onde deveriam ser construídos os imóveis do malsucedido Projeto Mogi 5.000. A empresa alugou a antiga sede da Andreucci Imóveis, na Rua Ricardo Vilela, para montagem de uma central de vendas.

Frase

As únicas pessoas que se enfurecem ao ouvir a verdade são aquelas que vivem na mentira.

Sérgio Moro, juiz de Direito e atual ministro da Justiça do Governo Federal


Deixe seu comentário