ARTIGO

Mulher

Laerte Silva

Hoje comemora-se o dia internacional da mulher, uma data oficializada pelas Nações Unidas que tem como referência histórica a luta de mulheres que trabalhavam em fábricas nos Estados Unidos no início do século passado, queriam respeito aos direitos violados de suas condições de trabalho, um movimento que acontecia em outras partes do mundo também. A ONU neste ano propaga por conta deste dia o foco da igualdade de direitos, que apesar de alguns passos, ainda segue lenta.

O dia 08 de março é significativo para lembrar que a igualdade de direitos vai além do apelo comercial da data, deve sempre estar em evidência pela proteção à integridade física da mulher, contra a agressão ao seu corpo, sentimentos, pelo direito de ser tratada com respeito nas relações de trabalho, afastando-se os tabus de indiferença e considerando que tanto quanto o homem pode ser empreendedora, que o seu brilho não está na roupa, mas na sensibilidade.

Essa semana a posse da atriz Regina Duarte como secretária especial de Cultura do Governo Federal trouxe da memória a série de TV Malu Mulher, onde foi protagonista retratando a condição da mulher do final dos anos 70 do século passado, uma produção de vanguarda que abriu a discussão sobre as relações da esposa, mãe e profissional à época, emancipada da dependência do homem.

É preciso sempre destacar a figura da mulher não como alguém simplesmente ao lado do marido ou companheiro, como objeto de beleza de carnaval, mas aplaudir a figura feminina da mãe, esposa, irmã e filha que batalham e constroem como todo homem. Aos amores de minha vida, Ana e Bia Picone e Gaby Kurita, parabéns nesse seu dia internacional, amo vocês todos os dias.

Laerte Silva é advogado


Deixe seu comentário