Músico escapa de bando em estrada

o veículo de Alessandro Borsari foi atingido na rodovia Ayrton Senna, na divisa entre Mogi e itaquaquecetuba. Depois de um tempo sem registros do tipo, as tentativas de assaltos na Rodovia Ayrton Senna (SP-70), na divisa entre Itaquaquecetuba e Mogi das Cruzes, estão de volta. Os bandidos jogam pedras nos carros para incentivar os motoristas a pararem e, desta forma, efetuam roubos às margens da estrada estadual. No ano retrasado, um técnico de som da cantora Luiza Possi morreu depois da van em que ele estava ser alvejada por assaltantes.
A vítima da vez é o músico Alessandro Borsari, de 38 anos.Conforme explicou à reportagem, ele voltava de uma apresentação, ontem, por volta das 4 da manhã, pela SP-70, quando foi surpreendido pelos marginais. “Acessei a estrada depois do pedágio, após um show em Itaquá e já estava na divisa com Mogi quando jogaram uma pedra bem grande no meu carro. A sorte foi que pegou apenas no teto e não no vidro. Isso nunca tinha acontecido comigo, mas eu já tinha ouvido falar dessa ação dos criminosos e, por isso, decidi continuar dirigindo. Se eu parasse, os bandidos, com certeza, iriam me assaltar”, afirmou a O Diário. O músico conta que estava a 80 km/h no momento do susto e Arquivo que precisou controlar rapidamente o veículo para não causar nenhum acidente. Na hora da tentativa de assalto, diz ele, que voltava sozinho para casa e que não se feriu. Questionado se pretende registrar boletim de ocorrência, Borsari afirmou, ontem de manhã ao jornal, que ainda não pensou nisso. “Estou tentando me recuperar”, disse em certo momento.
Os roubos na SP-70, como este jornal já mostra há quase dois anos de forma constante, é de conhecimento das forças policiais. O ex-secretário de Estado da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, durante visita a Suzano, em abril do ano passado, prometeu reforçar o patrulhamento na Ayrton Senna e na Mogi-Dutra (SP-88). Ele cumpriu, em parte, o prometido. Nas semanas seguintes foram registradas várias operações nas duas estradas, inclusive, com a prisão de suspeitos de cometer assaltos nas referidas rodovias. Nos meses seguintes, no entanto, a parceria entre a Polícia Militar Rodoviária (PMRV), a urbana (PM) e a Polícia Civil não continuou.
Em outubro de 2013, o técnico de som Cláudio Shigeru Fuji mori, 42, que integrava a equipe da cantora Luiza Possi, que ha via feito um show na Cidade, retornava a São Paulo com colegas numa van, quando bandidos jogaram uma pedra no veículo.
Por conta do susto, ele passou mal. O técnico chegou a ser so corrido a um hospital próximo, porém, não resistiu a um mal estar fulminante. O caso mais conhecido é o do ex-ator Gerson Brenner, assaltado há 16 anos, na Rodovia Carvalho Pinto, extensão da SP-70, já na divisa entre o Alto Tietê e o Vale do Paraíba. O artista recebeu um tiro na cabeça enquanto tentava trocar o pneu do carro, depois dele ter sido furado por uma pedra. Durante julgamento, descobriu-se que os autores do crime se encontraram um dia antes em um campo de futebol, em Guararema, para planejar assaltos na rodovia estadual. Os bandidos costumam jogar pedras das passarelas sem redes de proteção que estão espalhadas por toda a extensão do corredor Ayrton Senna / Carvalho Pinto. Sequestros relâmpagos são outra modalidade praticada pelos assaltantes.
Vítima dos Pampas A Polícia Civil de Mogi das Cruzes vai instaurar investigação para apurar um roubo com cárcere ontem. O motorista Antonio Ribeiro Ferreira, de 45 anos, foi abordado por dois marginais, na Rodovia Presidente Dutra (BR-116), na altura de Jacareí, ontem, às 7h30 da manhã. Eles estavam em um Chevrolet Agile prata quando anunciaram o assalto. O caso foi registrado no 2º Distrito Policial (DP), em Braz Cubas. A vítima é de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, e trabalha para a empresa Sírios Transportadora e Logística, com sede no estado gaúcho, e retornava do Rio de Janeiro, depois de uma entrega. “Eles me renderam bem de manhãzinha.Eram dois. Eu disse que não tinha carga, mas me colocaram no carro e ficaram andando comigo por umas quatro horas.
Os bandidos me devolveram o meu celular, documentos e GPS, já o caminhão (eles) levaram embora. Eles foram bem violentos. Fui deixado, já perto do meio dia, em um posto BR (Itamaraty), no início da Mogi Dutra”, relatou à reportagem por telefone. O caminhão é um Mercedes Benz ATEGO 2426 (IZS2426), de Novo Hamburgo (RS), registra do em nome da empresa, que tem filial em Barueri, na Grande São Paulo. “Eu tinha R$ 200,00 meus e outros R$ 1.000,00 da empresa que foram levados também. Parecia que queriam o primeiro que aparecesse”, afirmou o motorista. Até o fecha mento desta edição, a Polícia Civil não havia identificado os ladrões.


Deixe seu comentário