TRIBUTO

Músico mogiano Marcos “Pilão” ganha homenagem neste domingo

ROCK Na foto com amigos que tocarão neste domingo, Pilão (ao centro e acima) era conhecido por composições que defendiam a liberdade de expressão e a justiça social. (Foto: divulgação)
ROCK Na foto com amigos que tocarão neste domingo, Pilão (ao centro e acima) era conhecido por composições que defendiam a liberdade de expressão e a justiça social. (Foto: divulgação)

Completam-se hoje 10 anos da morte do mogiano Marcos “Pilão” Barrence, nome que marcou a cena do rock local entre os anos de 1980 e 2000. Como forma de homenagear o músico, compositor, DJ e produtor cultural, as principais bandas das quais ele fez parte se reúnem no Sailors Pub para um tributo especial a partir das 17 horas deste domingo, dia 26.

O som fica a cargo dos grupos Los Iguanas, Ejaculação Precoce, Sangue de Rua e Polite, que tiveram, em algum momento, Pilão como vocalista e baterista, além dos Riverboys, amigos que sempre o acompanharam na noite.

Com exceção da Polite, que vez ou outra se apresenta em alguma casa noturna, todas as outras estão inativas, mas decidiram se juntar para “relembrar os repertórios antigos”, assim como foi feito em 2010, poucos meses após o falecimento do mogiano por leucemia mielóide aguda.

Pilão era daquelas pessoas que promove a união, e ao longo da vida montou diversas bandas de punk e garage rock que serviram de inspiração para outros jovens da cidade. Ao lado dos músicos que tocarão neste domingo, “trilhou uma carreira de dedicação absoluta à música, disseminando o rock’n’roll mais autêntico e sincero com apresentações em várias cidades do Estado”, conta o amigo Guilherme Gorgulho, baterista da Sangue de Rua, fundada em 1991.

“O marco de uma década sem um cara tão importante como Pilão é uma oportunidade de lembrar como a amizade, as canções e as ideias dele fazem falta. Ainda mais em um momento tão crítico como o que vivemos hoje no Brasil, em que as opiniões que ele sempre defendeu, de liberdade de expressão e de justiça social, vêm sendo atacadas sistematicamente”, emociona-se Gorgulho.

Outro dos amigos do homenageado, Fábio Pinhal, que integra três das formações que estarão no Sailors, relembra-se dos bons tempos de décadas passadas. “Minha relação de amizade com o Pilão começou dos anos 1990, quando tive a oportunidade de tocar e compor junto com ele em diferentes bandas”.

Em clima nostálgico, a expectativa de Pinhal para o tributo, que reunirá canções compostas por Pilão e também artistas por ele admirados é, “além de reunir os amigos, manter viva a obra dele, suas composições e letras que continuam bastante atuais”.

Vocalista e baterista, Pilão era dono de um “estilo preciso e viceral, consolidado em anos de pesquisa musical de artistas da cena independente do Brasil e do exterior”. Como compositor, promovia críticas contra a injustiça social “sem ser panfletário, expressando também com a sensibilidade que lhe era peculiar temas como a solidão das cidades e a necessidade de se trilhar o próprio caminho em meio à multidão”.


Deixe seu comentário