TRÂNSITO

No Pátio Municipal de Mogi, 670 veículos podem ser leiloados

SERVIÇO O Pátio Municipal está localizado no Distrito de César e é operado pela empresa Alves e Yoshi. (Foto: Eisner Soares)

Quase 43% dos veículos removidos ao Pátio Municipal de Veículos, em Mogi das Cruzes, são por desrespeito às regras de estacionamento, sendo a maior parte por parar na calçada, em seguida por não respeitar a sinalização ou ainda deixar o veículo em local proibido. Essas autuações são realizadas pela Secretaria Municipal de Transportes. Já nas ocorrências do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e da Polícia Militar, 34,7% foram porque o licenciamento estava vencido. Em seguida aparece o mau estado de conservação, responsável por 9,8%, em 6% dos casos o motorista estava com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) vencida ou mesmo não tinha o documento, e 2% por estacionar em local irregular.

O Pátio Municipal de Veículos de Mogi está atualmente com 670 veículos há mais de 60 dias no endereços – período em que o Código Brasileiro de Trânsito permite que os carros sejam leiloados. Deste total, 599 estão sob responsabilidade do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) do Estado de São Paulo, e outros 71 da Secretaria de Transportes de Mogi. A administração municipal espera realizar um leilão ainda neste ano.

Neste mês completa o primeiro ano que a empresa Alves e Yoshi Comercial e Distribuidora assumiu o serviço e o transferiu para a avenida João XXIII, no distrito de César de Sousa. Segundo a Secretaria Municipal de Transportes, estão sendo cumpridas as exigências contratuais da concessão, inclusive com a modernização da operação.

Um exemplo é a possibilidade de pagamento com cartões de débito e de crédito, além do pagamento em dinheiro ou em depósito em conta. A pasta mantém o acompanhamento do serviço e vem buscando novas melhorias para o atendimento à população.

Entre janeiro e novembro do ano passado foram arrecadados R$ 839.158,85, sendo que foi repassado para a Prefeitura R$ 190.489,05. O valor da outorga onerosa a ser pago pela empresa à Prefeitura é de 22,7% do valor arrecadado, de acordo com o contrato. “Os recursos são destinados ao Fundo Municipal de Mobilidade Urbana para intervenções, aquisição de equipamentos, sinalização e outras ações voltadas à melhoria da mobilidade urbana”, segundo informou a secretaria.

Entre os equipamentos que estão sendo adquiridos com recursos do Fundo Municipal de Mobilidade Urbana estão novos semáforos, novos controladores semafóricos, equipamentos de nobreak para semáforos, equipamentos para semáforos inteligentes, 100 novas luminárias para iluminação de faixas de pedestres e uma nova máquina para atuar na sinalização horizontal, com pintura.


Deixe seu comentário