Nós avisamos

Quando Mogi das Cruzes perdeu o Posto de Policiamento Rodoviário localizado no Distrito de Jundiapeba, a nossa primeira reação deste jornal foi enumerar os prejuízos imediatos como a redução do número de policiais e de viaturas circulando pelas estradas da Região do Alto Tietê e especificamente para vizinhança do prédio do pelotão, e políticos – com o afastamento do comando das questões rotineiras que poderiam ser resolvidas muito mais rapidamente.

Nesta semana, uma falha operacional questionada pelo vereador Benedito Faustino Taubaté Guimarães detalha essa situação. Ele está pedindo a liberação das duas faixas da Rodovia Mogi-Bertioga nas proximidades do posto rodoviário da Mogi-Bertioga nos horários de retorno do feriado, uma medida que poderia reduzir o afunilamento do trânsito registrado nesse trecho e a lentidão enfrentada por milhares de passageiros.

Tivesse algum responsável pela Polícia Rodoviária mais próximo dos problemas sentidos pelos usuários, esse tipo de situação seria resolvida de pronto: bastaria uma conversa entre lideranças e autoridades para se viabilizar uma alteração favorável para todos. Claro que há uma estratégia na manutenção dos cones de sinalização e na restrição da velocidade em frente ao posto – mas nos feriados, quando o aumento do número de carros provoca mais lentidão, uma pequena mudança, em determinados horários, melhoria a volta do feriado e reduziria o stresse da coletividade. Faria bem para a imagem do governo, da Polícia, da Mogi-Bertioga.

O caso reforça o que nós temíamos quando Mogi das Cruzes e Região foram surpreendidas, em 2013, com a desativação do posto rodoviário. A unidade possuía 40 policiais.

Esse desmonte prejudica a imagem da Polícia Rodoviária – com falhas nos quadros da corporação, como apresentar melhores resultados? E penaliza as cidades como Mogi das Cruzes, que tem o trânsito e a vida das pessoas impactadas diretamente pelo aumento do movimento das estradas, como a Mogi-Bertioga.

A lentidão na ida ou na volta da praia afeta o trânsito municipal. E quem pode controlar isso? O policial rodoviário com o desenvolvimento de estratégias, em conjunto com o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) que facilitem a vida de todos – como defendeu em plenário o vereador Taubaté Guimarães. Aliás, uma defesa tardia – há tempos a volta da praia
tira o humor das pessoas.