Plugado

Nossa saúde na quarentena

NOSSA SAÚDE NA QUARENTENA

Desde o início da quarentena, em meados de março deste ano, nos vimos em uma nova realidade e com uma rotina diferente da anterior para grande parte da população. Hábitos tiveram que ser alterados, e em muitos casos, a nossa saúde foi prejudicada. Estou falando da alimentação, da frequência das atividades físicas e a visão mais exposta às telas como a televisão, por exemplo. Hoje, convidei quatro profissionais da área da Saúde para falarem de algumas destas mudanças. Lembrando que a qualquer sinal de alerta, procure o seu médico

JULIANA SANTOS, NUTRÓLOGA 

-Qual a importância de manter uma rotina de atividade física, mesmo dentro de casa?

Nesta fase de isolamento social, muita gente não está seguindo uma alimentação regrada e praticando pouco (ou nada) de atividade física. Vejo que as pessoas estão preocupadas em não se expor ao novo coronavírus, mas sem perceber, evoluem para o obesidade e para o Diabetes Tipo II, devido ao estilo de vida. O sedentarismo e a má alimentação fazem com que a pessoa se torne parte do grupo de risco, não só para a Covid- 19, mas para outras doenças, como as cardiovasculares. Com medidas simples, como subir e descer escadas, pular corda e treinos com o peso do próprio corpo, conseguimos ter inúmeros benefícios como controlar o peso, auxiliar na ação da insulina, controlar a pressão arterial, melhorar a qualidade do sono e minimizar a ansiedade, tão comum nestes tempos de quarentena. Lembrando que a alimentação saudável anda de mãos dadas com a atividade física. Atividade física regular previne e trata doenças, além de melhorar a evolução de patologias crônicas, e o mais importante: proporciona qualidade de vida. Portanto, mesmo em casa, mantenha-se ativo, sempre!

 

BRUNA RIGHETTO, NUTRICIONISTA

-Como ter uma alimentação equilibrada em uma rotina dentro de casa? Como driblar as tentações?

Muitas pessoas têm tido dificuldades em relação à alimentação nesse período de quarentena. Algumas vezes, por se sentirem mais ansiosas (para muita gente acaba sendo um gatilho para consumo de alimentos mais carregados em açúcar e gorduras), e outras, por possuírem uma maior disponibilidade de tempo e de alimentos, com acesso livre à geladeira ou à despensa. Uma maneira de driblar essa situação, é ter em casa apenas alimentos “de verdade”, ou seja, alimentos “in natura” e minimamente processados como frutas, verduras, legumes, grãos, cereais integrais e sementes, evitando as tentações que devem ser evitadas, como biscoitos, salgadinhos, sorvetes, entre outros. Esses últimos são chamados de alimentos processados e ultra processados. Resumindo: descasque mais e desembale menos.  Outra alternativa é preparar de forma mais saudável os alimentos que goste de comer, usando temperos naturais e alimentos de verdade. E para a ansiedade, a prática de atividades físicas ajuda a liberar endorfina e melhorar os sintomas. Yoga e meditação podem ajudar muito neste processo

 

MOHAMAD SAADA, OTORRINOLARINGOLOGISTA

-No outono e no inverno, a gripe, alergias e resfriados são mais comuns. Como saber que não é Covid-19?

O Covid é tão inteligente, que resolve vir para o Brasil, justo na época de gripe, rinite e confundindo mais nossa cabeça! Estamos ainda conhecendo e reconhecendo esse vírus quando ele aparece. Um espirro ou uma tosse, muitas vezes, podem ser motivos para desespero. Primeiro, acalma o seu coração, no desespero nada funciona, nem a nossa cabeça. Quadros gripais e casos leves do novo coronavírus são muito parecidos, e é difícil de distinguir. Porém, temos alguns sintomas característicos como as perdas do olfato e do paladar, que é muito comum nos casos de Covid-19. Mas pra saber se é ou não, somente fazendo o teste para confirmar. As dicas básicas são: mantenha um pensamento positivo, hábitos saudáveis e um sono adequado

FERNANDO BOUCAULT, OFTAMOLOGISTA 

-Como cuidar da saúde dos olhos em meio a quarentena, na qual estamos mais expostos às telas como computador, televisão, tablet e celular?

Ficar um tempo prolongado em frente às telas faz mal à visão. O ideal é fazer um intervalo depois de 40 minutos em frente ao computador, por exemplo. Nesta pausa, é importante que a pessoa relaxe, olhe para o longe, e faça outras atividades com a família como cozinhar ou jogar jogos de tabuleiro com a família. Uma visão “cansada” é a mesma coisa que você correr uma maratona de 40 quilômetros: você vai sentir dor. Com os olhos é a mesma coisa. As telas não são as grandes vilãs, basta usá-las com consciência. Além disso, ficar muito perto da televisão, por exemplo, pode ser um sinal de alerta. A criança ou o adulto pode estar com dificuldades para enxergar e a dica que eu dou é: procure o seu médico oftalmologista para uma consulta


Deixe seu comentário