Novo Audi A4 aposta em tecnologia

Audi, BMW e Mercedes-Benz compõem uma espécie de triunvirato entre os automóveis premium no Brasil. Nesses tempos bicudos do mercado automotivo nacional, essas três marcas batalham, em especial, pelo mercado de sedãs médios. Mais recente lançamento do segmento, a nova geração do Audi A4 elevou o patamar da briga, após alguns anos no ostracismo. Isso fica evidente na tecnologia embarcada, no requinte e no preço. Apesar de não aparentar em um primeiro momento, muita coisa mudou no A4 mudou: desde a plataforma, passando pelo trem de força e chegando à carroceria.

O visual manteve o mesmo aspecto da antiga geração e recebeu apenas alguns pequenos ajustes para se adequar à identidade visual atual da marca. Os conjuntos óticos dianteiros e traseiros continuam horizontais, só que agora uma nova assinatura com aspecto que proporciona um olhar mais marcante. Na fita métrica, o ganho foi pequeno. Apenas 2,5 centímetros no comprimento, 1,6 centímetro na largura e 1,2 centímetro na distância de entre-eixos. Agora as dimensões totalizam 4,73 metros de comprimento, 1,83 metro de largura, 2,82 metros de entre os eixos e 1,43 metro de altura.

Sob o capô, o propulsor 2.0 TFSI de 190 cv, acoplado à transmissão de dupla embreagem com sete velocidades, deu um passo à frente em relação ao desempenho e consumo de combustível. Segundo o InMetro, o A4 percorre 11 km/l em ciclo urbano e 14,3 km/l na estrada, com nota A na categoria.

Por dentro, as novidades chamam atenção. Primeiro pelo painel, chamado Cockpit Virtual, já utilizado em outros modelos da marca. Trata-se de uma tela de 12,3 polegadas que faz o papel de quadro de instrumentos. Através do volante multifuncional, o condutor navega pelas informações do computador de bordo, do sistema multimídia, dos modos de condução – que alteram direção, câmbio e resposta do motor – e do navegador GPS. Tudo independente da tela da central multimídia, que pode rodar informações diferentes das exibidas ao condutor.

Além disso, há a opção de um “head up display”, que projeta no vidro à frente do motorista a velocidade e as direções indicadas pelo sistema de navegação. Contudo, o que chama mais atenção é o refinamento do acabamento, que mescla superfícies em alumínio com revestimentos em couro sintético e plásticos de toque macio.

O problema é que nem mesmo na configuração mais alta da linha o A4 é completo. A versão avaliada foi a Ambiente, que ocupa o topo da gama do modelo. Custa R$ 182.990, mas quando acrescida do pacote Assistance City (“side assist”, que monitora o tráfego lateral, “pre-sense rear”, que prepara o carro para uma colisão traseira, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, além de câmara de ré) aumenta o preço em R$ 12.600 e o pacote Tech (sonorização da dinamarquesa Bang & Olufsen, com subwoofer e 19 alto-falantes, “head-up display” e partida sem chave) ainda acrescenta R$ 10.200, além da pintura de R$ 2 mil. Uma soma que totaliza a marca de R$ 207.790.

O preço é alto levando em consideração que seus concorrentes diretos, como o BMW 320i com pacote M Sport, custa R$ 189.950 e o Mercedes-Benz Classe C200, parte dos R$ 186.900. O trunfo do Audi é já disponibilizar tecnologias que só devem aparecer nas próximas gerações do Classe C e do Série 3, na virada da década. (Fábio Perrota Júnior/AutoPress).

Ponto a ponto – Audi A4 2.0 TFSI
Desempenho – O A4 acelera com bastante vigor. O motor 2.0 turbo é extremamente bem disposto e empurra os 1.405 quilos com uma vitalidade impressionante. O torque máximo de 32,6 kgfm está disponível já a partir das 1.450 rpm e se mantém pleno até os 4.200 giros. Ou seja, o A4 se sai bem tanto em tráfego urbano, nas arrancadas, quanto na estrada, em retomadas e ultrapassagens. Nota 9

Estabilidade – A suspensão é macia e bem adaptada aos desníveis do solo nacional. Sólido em qualquer tipo de condição, o A4 apresenta um comportamento neutro em curvas, o que transmite segurança a quem conduz. Dificilmente é necessária a ajuda dos sistemas eletrônicos de segurança. Nota 9

Interatividade – A visibilidade é boa em todos os lados e os comandos ficam localizados em espaços de fácil acesso. O cockpit virtual aumenta exponencialmente o prazer em dirigir ao colocar todas as informações no alcance do olho do motorista. A central multimídia é independente e pode mostrar outras informações para os passageiros. A transmissão de dupla embreagem e sete marchas tem comandos no volante para trocas manuais. Nota 10

Consumo – O InMetro registrou 11/14,3 km/l na cidade/estrada, com consumo energético de 1,77 MJ/km. Os números renderam nota A no segmento e B na geral, com direito ao Selo Conpet de Eficiência Energética fornecido pelo órgão. Nota 9

Conforto – O espaço é grande e quatro pessoas viajam sem grandes problemas. Os bancos têm boa densidade e recebem bem os ocupantes. A suspensão é bem confortável, absorvendo com eficiência os impactos do péssimo asfalto brasileiro. Nota 9

Tecnologia – A plataforma modular MLB Evo é nova e usa materiais nobres e chapas de aço mais finas na carroceria. O motor 2.0 turbo é moderno, mas peca por não ser flex. A lista de itens de série do A4 contempla diversos itens de segurança e conforto. Contudo, os que poderiam ser considerados diferenciais, são vendidos em pacotes opcionais. O ar-condicionado, por exemplo, é trizone, mas a câmara de ré é opcional e integra um pacote que custa R$ 12.600. Nota 7

Habitabilidade – Há bons espaços para guardar celular, chave, carteira e outros objetos. O acesso aos bancos dianteiros e traseiros é tranquilo, graças ao bom ângulo de abertura das portas. O porta-malas de 480 litros é compatível com a categoria. Nota 8

Acabamento – Um dos pontos altos do A4, o acabamento impressiona. Seja pela qualidade dos materiais empregados ou pela combinação que eles proporcionam. O habitáculo é extremamente elegante e aconchegante. Todos os plásticos têm um toque agradável e o ambiente é sóbrio. Nota 10

Design – Tudo é bem harmônico no desenho do A4, inclusive a mistura de sua forma clássica com elementos que reforçam uma imagem moderna e esportiva. Os faróis e lanternas com luzes de LED se destacam, assim como as vistosas rodas de 18 polegadas. Nota 8

Custo/benefício – O Audi A4 Ambiente começa em R$ 182.990, mas seus pacotes de opcionais elevam seu preço final a R$ 207.790. Quase R$ 20 mil a mais que seus concorrentes diretos BMW Série 3 e Mercedes-Benz Classe C nas suas versões topo de linha. O nível de tecnologia embarcada justifica, em parte, a diferença. Nota 6

Total – O Audi A4 Ambiente somou 85 pontos em 100 possíveis.


Deixe seu comentário