TRANSPORTE

Número de partidas oferecidas no Terminal Rodoviário Geraldo Scavone cai de 80 para 9

TRANSPORTE Redução no total de embarques do terminal foi de 95% e, agora, uma empresa estuda novos horários. (Foto: Eisner Soares)

Diversas cadeiras vazias, quantidade de horários de ônibus limitada e pouco movimento, especialmente de moradores de outros municípios. Há três meses esse é o novo cenário do Terminal Rodoviário Geraldo Scavone, em Mogi das Cruzes, um reflexo da pandemia de Covid-19 e das restrições adotadas para mitigar a proliferação do novo coronavírus. Em junho, a redução no número de embarques no local foi de 95% pelo terceiro mês consecutivo.

Atualmente, a rodoviária, que recentemente recebeu uma série de reformas e melhorias, oferece nove partidas por dia entre segunda a sexta-feira, e sete aos finais de semana. Antes do surto de Covid-19, eram ofertadas 80 partidas diárias. Porém, considerando a flexibilização gradual da quarentena, o número pode ser ampliado já no próximo mês, obedecendo as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS). Para isso, a Atlântica, atual concessionária do serviço adotou a campanha Embarque e Viagem Segura.

De acordo com as liberações dos decretos em vigor, a partida com destino para o Rio de Janeiro, antes suspensa, já está disponível, com uma única partida, as 22h30. Também há três partidas para Bertioga, as 06h50, 11h30 e 18h10. Para São Paulo, são dois horários, às 5 horas e 07h15 de segunda a sexta feira, sem partidas aos finais de semana. A viajem para São José dos Campos / Jacareí / Arujá ocorre em dois horários, às 05h45 e 18h30. Já a viação Util e a Cometa permanecem com os guichês fechados.

A Concessionária Atlântica e as empresas que operam no Terminal Rodoviário Geraldo Scavone garantem que “estão trabalhando unidas, colocando em prática todas as ações referentes aos protocolos de higienização e distanciamento social estando assim aptos a realizar seus serviços para que as operações de transporte ocorram com segurança e conforto para todos os passageiros”. Diz ainda que como o terminal rodoviário encontra-se em operação desde o início da Pandemia para atender em especial os usuários que trabalham em serviços essenciais, “o protocolo de higienização é realizado diariamente”.

Algumas das ações informadas são: disponibilização gratuita de álcool em gel, cuidados redobrados com os procedimentos de higiene e desinfecção de todas as áreas do Terminal, isolamento alternado das cadeiras, intercalando sua utilização; instalação de tapetes sanitizantes para áreas de embarque – antes da entrada nos ônibus, além da obrigatoriedade de máscaras, entre outras. Os funcionários também estão instruídos a passar todas as informações importantes de higienização, uso de máscaras e de distanciamento;

Apesar disso, a empresa reforça que todos os passageiros, devem seguir as orientações passadas diariamente pelo Ministério da Saúde, OMS e as secretarias de Saúde de seus respectivos municípios, e não relaxar com os protocolos de prevenção dando ênfase e respeitando a Etiqueta Respiratória, assim como o uso obrigatório de máscaras de proteção individual; evitar tocar os olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas; e higienizar as mãos com sabão ou álcool em gel após tossir ou espirrar.

Pontos comerciais

Os pontos comerciais do terminal estão retomando gradativamente seu funcionamento, com atendimentos diferenciados, apenas para retirada de produtos – Sistema Drive Thru. O estacionamento encontra-se com funcionamento normal, atendendo usuários avulsos e mensalistas.

Região reivindica linhas intermunicipais

Prefeitos do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) se reuniram ontem com o secretário de Estado de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, para solicitar o retorno das linhas intermunicipais entre as cidades do Alto Tietê e a Capital.

Os prefeitos Adriano Leite, presidente do órgão, e Gian Lopes, de Poá, argumentaram que desde a mudança implantada pela Empresa Metropolitana de Transporte Urbano (EMTU) no final de maio, milhares de usuários de ônibus enfrentam transtornos no deslocamento para o trabalho.

No total, 10 linhas que partiam das cidades de Poá, Ferraz de Vasconcelos e Guarulhos para pontos distintos de São Paulo foram interrompidas.

“Essa mudança obriga os usuários a utilizarem mais de duas conduções para chegar ao destino, ocasionando maior tempo de viagem e, principalmente, gastos a mais porque as nossas cidades não possuem integração tarifária com o sistema de trens”, explicou Adriano Leite.

O secretário Alexandre Baldy afirmou que as linhas foram interrompidas em decorrência de uma portaria da cidade de São Paulo, que impede a circulação de ônibus intermunicipais no seu território. Ele se mostrou sensível ao problema do Alto Tietê e afirmou que avaliará possíveis alternativas.

“Esperamos uma solução o quanto antes porque são muitos usuários do Alto Tietê prejudicados, sem contar os de outras regiões da Grande São Paulo onde também teve interrupção das linhas que faziam a conexão com a Capital”, considerou o prefeito Gian Lopes.

A audiência foi articulada pelo deputado estadual André do Prado, coordenador da Frente Parlamentar em Apoio aos Municípios do Alto Tietê. “É essencial a volta dos itinerários para atender a população do Alto Tietê”, disse o deputado.

Na reunião foram tratados também outros assuntos relacionados ao transporte público no Alto Tietê, entre eles, investimentos na melhoria das estações de tremda linha 12-Safira, em Itaquaquecetuba.


Deixe seu comentário