ARTIGO

O alto preço da vida

Diego Cápua

Como pagamos tudo tão caro hoje. Não, a inflação não é o problema, nem mesmo os abusos que são cometidos por vezes, mas sim do que nos é cobrado para vivermos essa nossa “vida moderna”. Estamos conectados 24 horas, sabemos do que acontece no outro lado do mundo como se o fato tivesse ocorrido ao nosso lado, da mesma forma como temos mais facilidade para acessar nossos dados de trabalho, bancário e relativo ao conhecimento, porém, mesmo assim temos pouco tempo, damos muito dele em troca do trabalho ou de atividades frívolas, e perdemos aquele período que poderíamos dedicar às nossas famílias, amigos ou a nós mesmos.

Rimos dos capiais e dos antigos, desdenhamos dos seus r’s puxados, mas não vemos que quem deveria ser o motivo de riso somos nós, pois os conhecimentos e modo de vida deles são, grande parte das vezes, valorosos, simplistas e perfeitos, pois existia/existe um equilíbrio entre tudo que é importante.

Sonhamos tanto em morar perto do trabalho, mas olhando um pouco atrás, quantos não tinham seu trabalho ao lado de casa ou mesmo quantos não trabalhavam em indústrias e a poucos metros da portaria estavam as residências dos trabalhadores, que ao final da labuta caminhavam e podiam desfrutar de um tempo muito maior para si do que temos hoje.

Hoje é tudo muito “organizado” e separado, sendo que a cada dia estamos indo morar mais longe do trabalho a fim de termos qualidade de vida, sendo certo que os locais destinados à produção ou prestação de serviços são cada vez menos amigáveis à moradia, seja pelo preço ou por não oferecer a tranquilidade necessária para o descanso e convívio socio-familiar.

Além disso somos muito exigidos com relação ao tempo dispensado ao trabalho. Você querer cumprir a sua jornada diária, sem dedicação extra é quase um crime, você é mal visto por querer ter a hora dedicada para o trabalho e outro para a vida pessoal, sendo que o certo e valorizado hoje em dia é aquele que vive mais para a labuta do que para simplesmente viver.

Por isso pagamos um preço alto. Nosso tempo hoje é mais para prepararmos para um futuro descanso que jamais saberemos se chegará. Não podemos ter o presente que precisamos e temos que apenas torcer para todos os planos darem certo. Será que nossa vida moderna vale isso que nós é cobrado?

Diego Cápua é advogado


Deixe seu comentário