TRADIÇÃO

O Diário recebe altar de São Benedito

Padres Marcos Sulivan e Thiago Fragoso abençoaram o altar montado no saguão de O Diário. (Foto: Eisner Soares)
Padres Marcos Sulivan e Thiago Fragoso abençoaram o altar montado no saguão de O Diário. (Foto: Eisner Soares)

A sede de O Diário recebeu na tarde de ontem o altar de São Benedito, instalado no saguão de entrada do prédio. A cerimônia, comandada pelo reitor do Santuário do Senhor Bom Jesus, padre Marcos Sulivan Vieira, com a presença dos organizadores e funcionários do jornal, faz parte do ritual de preparação da tradicional Festa de São Benedito, que neste ano chega a 79ª edição, com a expectativa de público de 30 mil pessoas. As comemorações terão início na próxima quinta-feira e se estenderão até o 5 de maio.

Depois das bençãos e orações, o vice-reitor do santuário, o padre Thiago Fragoso, disse que o jornal foi um dos espaços escolhidos para a instalação do altar, “pela parceria na divulgação dos eventos e pela importância dessa empresa pioneira na área de comunicação, que mantém a população informada sobre os acontecimentos da cidade”. Outros altares também foram instalados na Prefeitura e na Câmara. Estão no comando do evento os festeiros Danielle Cristina e Eduardo Ferreira da Silva. Eles contam com a ajuda do casal de capitães de mastro Ana Paula e Claudinei Salenco.

O padre Sulivan disse que a Festa de São Benedito vem crescendo a cada ano. Ele disse que as expectativas são positivas para as novenas, que estão com novo formato, seguindo rituais antigos, com as orações e cânticos em latim. As rezas acontecerão todos os dias de evento, sempre com início as 19 horas, no Santuário Bom Jesus. Para cada dia será um convidado especial, incluindo arcebispos, bispos e padres da região.

Para 2019, houve investimentos em atrações no parque infantil para as crianças. O religioso explica ainda que serão instaladas 12 barracas com comidas e doces típicos, além do bingão e do afogado. Para dar uma conotação mais social para o evento, neste ano a igreja convidou duas entidades para participar: o Fundo Social (polenta e batata frita) e a Associação Beneficente Doce Lar (buraco quente).

Os valores arrecadados durante a festa serão usados, segundo o padre, para manter o santuário e promover as obras de reparo no prédio. Ele explica que pretende dar início à elaboração do novo projeto técnico para realização das obras ainda neste ano. O custo estimado para a primeira fase é de R$ 92 mil.