EDITORIAL

O futuro do Pico do Urubu

Rota de aventura, belezas naturais e de voo livre, o Pico do Urubu se prepara para receber melhorias de um projeto financiado pelo governo federal. Serão construídos um centro de apoio ao turismo e um mirante, e feitas intervenções nos últimos quilômetros da Estrada da Cruz do Século, que leva o visitante a um dos pontos mais altos da Serra do Itapeti, em Mogi das Cruzes.

No ano passado, quando a Secretaria Municipal de Cultura, que responde pela Coordenadoria Municipal do Turismo, divulgou propostas para a captação de recursos financeiros ao Ministério do Turismo, dois tinham a ver com o Pico do Urubu – a construção de uma rampa de pouso para a prática de voo livre (asa delta e paraglider) no bairro do Nova Mogilar, com infraestrutura administrativa e receptiva , e a transformações de dois dos últimos quilômetros do acesso em estrada-parque, com intervenções como o piso intertravado e soluções para a drenagem e o combate aos problemas como os buracos e a erosão.

Os recursos foram liberados e a Prefeitura fez uma adaptação aos planos originais. Ontem, um aviso de licitação para a construção do mirante, um deck e o centro de apoio ao turista foi publicada neste jornal.

Área de interesse para o turismo de aventuras e ecológico, o Pico do Urubu é frequentado por esportistas e amantes do convívio com a natureza por si mesmo. O número de visitantes aumentou consideravelmente, desacompanhado de um projeto de planejamento que atacasse os problemas criados pela superexposição desse cartão postal de Mogi.

O governo municipal corre atrás dos prejuízos visíveis como a sujeira e o uso inadequado por uma parte dos visitantes desrespeitosos e despreocupados com a preservação da fauna e flora de um território que integra a Serra do Itapeti. E há situações mais sérias acontecendo com as raves, festas noturnas com som alto, camping e a ocupação excessiva das antigas trilhas que intercortam a mata.

Interessa melhorar as condições de recebimento de visitantes. Mas, com muiota atenção aos limites sobre o uso e acupação do Pico do Urubu. O lugar difere, por exemplo, do Parque Municipal Francisco Veríssimo, uma reserva municipal; mas também está na Serra do Itapeti, desde o ano passado uma Área de Proteção Ambiental (APA) protegida por legislação específica justamente pela riqueza da fuana e flora ali abrigada.

Há alguns anos, o Ministério Público agiu com firmeza para preservar o lugar e dar segurança aos adeptos do voo livre. Os tempos eram outros. O que amplifica a responsabilidade de se acompanhar, agora, o que está sendo planejado para o Pico do Urubu.