ARTIGO

O lado da pedra

Diego Cápua

A pedra tem uma cor específica, dependendo do ângulo que você a esteja olhando, disse uma professora de Introdução ao Estudo do Direito. Não, não era uma lição sem nexo, mas algo de grande valia, e que colocando hoje nos fatos do nosso país se aplicam muito bem. A fadada reunião ministerial: Se seu estou do lado dos “defensores irrestritos”, aquela reunião não disse nada, na verdade apenas mostra que o “mito” está do lado do País e está preocupado com segurança dos seus. Se sou da vertente contrária, daqueles que são contra, aquilo foi a prova irrefutável da culpa, devendo o vídeo levar a condenação e ao impeachment do “Bozo”. Realmente, de acordo com a vertente de pensamento, eu posso ver aquele fato com extremismo, achando existir ou não um elemento forte e efetivo, quando a realidade e a noção de equilíbrio pede uma análise mais direta, centrada e sem pré-conceitos. De fato, a reunião mostra uma manifestação do presidente Jair Bolsonaro que chama atenção e realmente preocupa, de forma que a investigação precisa continuar e apurar se existem elementos mais firmes e que apontem a real intenção daquela frase lançada. Vale consignar, no direito, o “ahh, eu acho que ele quis dizer isso”, não é válido.

Somente com elementos que deem uma certeza podem ser utilizados para uma condenação. Por isso, vamos tomar cuidado com uma caça as bruxas. Infelizmente já temos o presidente lutando uma guerra imaginária e não precisamos de mais pessoas entrando, de qualquer lado, nesse devaneio. Vamos acalmar os ânimos, deixar o protecionismo e a polarização excessiva de lado em todos os poderes. A Justiça precisa, deve investigar e punir caso os elementos provem uma situação, pois nenhum cargo público deve ser utilizado para benefício próprio ou de seus pares.

Diego Cápua é advogado


Deixe seu comentário