EDITORIAL

“O que há no rio?”

A respeito do editorial “O que há no rio?”, publicado por este jornal, gostaria de colocar minha preocupação de que existe uma grande probabilidade que venha a se constituir em um retumbante fiasco. Baseado em informações do Infoáguas, da Cetesb, verifica-se que a concentração média anual de oxigênio , na captação Pedra de Afiar, do Semae, foi de 3,8 mg/l em 2016, 3,2 mg/l em 2017 e 3,0 mg/l em 2018 (ponto de amostragem da Cetesb Tiet 02090). O relatório diário da situação dos mananciais da Sabesp informa que a vazão média anual, logo após a captação Pedra de Afiar, é de 1,0 m³/s apenas. Esta baixíssima vazão, mais o fato que o oxigênio dissolvido já apresentar baixos valores neste ponto, somado à carga de esgotos domésticos sem tratamento provenientes de parte da Vila Oliveira e de César de Souza transforma o Tietê em esgoto a céu aberto no curtíssimo percurso de apenas 5 km entre a captaçãdo do Semae e a ponte da Av. João XIII. O próximo ponto de amostragem da Cetesb (Tiet 3120) está localizado em Suzano e apresentou médias anuais de oxigênio dissolvido de 1,5 mg/l em 2016, 1,0 mg/l em 2017 e 0,5 mg/l em 2018. Deduz-se facilmente que a passagem do Tietê pela zona urbana de Mogi o leva ao colapso total devido à baixa vazão e à imensa carga de esgoto “in natura” que recebe. Em vista do relatado é de se concluir, então, que a concentração de oxigênio dissolvido na Ilha Marabá estará consistentemente abaixo de 3,0 mg/l , que é um valor aceito como mínimo para sustentar a vida de peixes. Seria razoável que meu competente colega, prof. Hilsdorf analisasse muito bem esta situação antes de se aventurar nesta provável marquetagem política, fadada ao fracasso. O Tietê, abaixo da Pedra de Afiar, está destinado a continuar sendo um rio morto. A Sabesp, no seu Plano Diretor de Esgotos (PDE), tem como meta devolver o Tietê a Rio Classe 4 (oxigênio dissolvido 2,0 mg/l), onde a vida aquática é impossível. Sua destinação será harmonia paisagística e navegação.

Prof. Dr. Eng. José Roberto Kachel dos Santos

Mogilar, Mogi das Cruzes