INFORMAÇÃO

Organização social assume a Farmácia de Alto Custo

SPDM terá pela frente o desafio de acabar com as filas por medicamentos

A Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), uma das maiores organizações sociais de caráter filantrópico do País, irá assumir, a partir deste final de semana, o gerenciamento da Farmácia de Alto Custo de Mogi das Cruzes. A instituição chega com um enorme desafio pela frente: pôr fim às intermináveis filas que expõem ao sol e chuva, ou aos riscos de contaminação pelo novo coronavírus e outras doenças, centenas pessoas, muitas delas idosas e doentes, que se aglomeram na calçada da Farmácia, na avenida Narciso Yague Guimarães, bem em frente à Prefeitura de Mogi, em busca de medicamentos de custo elevado, oferecidos pelo Estado às pessoas carentes. As longas filas que se formam diariamente naquele ponto muito movimentado da cidade representam um das mais degradantes exposições da desatenção do governo diante da carência, necessidade e boa-fé de pessoas que se submetem a esse tipo de constrangimento por não terem alternativa para obtenção de medicamentos, na maioria das vezes indispensáveis para mantê-las vivas. Por mais de uma vez, em editoriais, este jornal denunciou tal situação, principalmente após a pandemia do novo coronavírus. Afinal, ali se juntava, sem qualquer cuidado especial, um grande número de pessoas carentes e doentes, correndo sérios riscos de serem contaminadas ou transmitirem algum tipo de contaminação. Nenhuma providência, de imediato, foi tomada. Mas agora, com a experiência da SPDM na gerência de outras farmácias semelhantes, na Capital e região de Campinas, espera-se que, finalmente, o grave problema seja, enfim, solucionado, aplicando-se aqui as soluções adotadas nessas outras localidades. Resta saber, entretanto, se o contrato de gerenciamento da Farmácia de Mogi inclui também a gestão da compra dos medicamentos, para evitar outra grave deficiência do setor: a ausência periódica de remédios em razão do descontrole nas aquisições feitas pelo Estado. Se o contrato se limitar ao gerenciamento de filas, pode-se resolver um só problema, o das filas, deixando o outro, a falta de certos medicamentos, sem a esperada solução. Vale a pena vai ficar de olho no caso.

Herança

Terminou o mandato de três meses da deputada Alessandra Monteiro (Rede) junto à Assembleia Legislativa paulista. Eleita primeira suplente da coligação Rede/PMN, com 24,6 mil votos, a mogiana ocupou interinamente a vaga da deputada Maria Helou (Rede), durante licença-maternidade. No período, participou de votações relativas à crise sanitária do coronavírus, compartilhou do primeiro plenário virtual da Assembleia e deixou projetos de combate ao abuso infantil, evasão escolar, transparência na gestão pública e educação financeira, a serem votados pelos demais deputados.

Live do padre

O padre cantor Alessandro Campos já está na onda das lives. Depois de participar, no domingo, da apresentação de Sérgio Reis, ele fará a sua própria, amanhã, a partir das 20h30, com transmissão pelo YouTube e pela Rede Vida. O religioso terá a companhia de Dunga, cantor ligado à Canção Nova e à ala da Renovação Carismática Católica. O show vai arrecadar doações para a Fazenda da Esperança, comunidade terapêutica de Guaratinguetá, que atua desde 1983 no processo de recuperação de pessoas viciadas em álcool e outras drogas.

Mudança

A médica Karla César Crozera Simões não é mais a presidente do Consórcio Regional do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Cresamu). A decisão de sua substituição pela médica Rosangela Cunha, a Doutora Nenê, partiu do atual secretário municipal de Saúde, Henrique Naufel. A indicação para presidência do Cresamu é, legalmente, prerrogativa do prefeito do maior município do consórcio, no caso, Mogi. Rosangela vai acumular o novo cargo com o de secretária-adjunta de Saúde mogiana.

Arquivado

O secretário de Comércio Exterior da Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia, Lucas Ferraz, mandou encerrar, sem análise de mérito, a investigação da prática de dumping nas exportações para o Brasil de anidrido ftálico originárias de Israel e da Rússia e de dano à indústria doméstica decorrente de tal prática. A decisão de pôr um fim prematuro à denúncia feita pela Petrom de Mogi das Cruzes, noticiada pela coluna em fevereiro, ocorreu, segundo Ferraz, “em razão de deficiências formais insanáveis identificadas no processo”.

Frase

Muitas sementes foram plantadas e no coração fica a emoção e a certeza de que, andando pelo caminho, há muito trabalho a ser feito por uma farta colheita que está por vir.

Alessandra Monteiro, suplente de deputada, ao deixar o cargo que ocupou por três meses na Assembleia Legislativa


Deixe seu comentário