ARTIGO

Os 57 anos do Ciesp Alto Tietê

José Francisco Caseiro
ciesp@ciespaltotiete.com.br

Muitos podem não saber, mas a regional do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) no Alto Tietê, que completa 57 anos de fundação neste mês, está entre as primeiras diretorias implantadas no território paulista, quando a entidade se viu diante da necessidade de descentralizar as atividades por conta do crescimento registrado no setor.

Impulsionadas principalmente pelo chamariz das gigantes Mineração Geral do Brasil e Cia Suzano de Papel e Celulose, Mogi das Cruzes e cidades vizinhas já apresentavam, no início da década de 60, um significativo desenvolvimento industrial, que justificava a criação de uma regional para unir os industriais em torno de objetivos comuns.

De setembro 1961 para cá, o parque industrial ganhou corpo e expandiu além de Mogi das Cruzes e Suzano, ocupando importante espaço também nas economias de Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Itaquaquecetuba, Poá e Salesópolis.

Nessas quase seis décadas de atividades do Ciesp, o Alto Tietê ganhou ainda mais destaque no cenário estadual e apresenta hoje um dos principais parques industriais do Estado, com cerca de 1.900 empresas e uma característica que faz toda a diferença – a diversificação de atividades. A Região possui mais de 20 setores, dentre os quais se destacam metalurgia, química, papel e papelão, farmacêutico, móveis e veículos automotores.

Essa diversidade tem ajudado, inclusive, na recuperação dos níveis de emprego na indústria do Alto Tietê nesse pós-crise. Isso porque ainda que em alguns setores a recuperação continue lenta, em outros o mercado está mais aquecido. O resultado disso é a criação de quatro mil postos de trabalho em sete meses e o segundo lugar no ranking estadual entre as regiões industriais do Estado. A indústria é responsável, ainda, por 30% da riqueza gerada nas oito cidades do Alto Tietê.

Esses dados comprovam o acerto do Ciesp na criação da regional, a qual tem, nesses 57 anos, exercido sua missão de defender os interesses da indústria, gerar informações e indicadores que ajudam na tomada de decisões e, principalmente, unir os empresários e fomentar o desenvolvimento do setor. O Alto Tietê tem ainda muito potencial a ser explorado e, o Ciesp, mais experiência e recursos para estar ao lado das indústrias.

José Francisco Caseiro é diretor do Sistema Fiesp/Ciesp no Alto Tietê