INDÚSTRIA

Outubro lidera demissões no ano em Mogi das Cruzes

ANÁLISE Um dos setores que mais perdeu fôlego em outubro foi o metalúrgico, seguido de áreas como o de máquinas e equipamentos. (Foto: arquivo)

O nível de emprego na indústria do Alto Tietê registrou o pior desempenho em dois anos outubro com uma variação negativa de 2,06%, o que representa o fechamento de aproximadamente 1.250 postos de trabalho. Pesquisa divulgada pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) mostra a maior queda registrada neste ano, superando os índices negativos de setembro (-1,16%) e de julho (-0,86%). Em 2019, aliás, apenas em três o índice foi positivo, mas sem chegar à casa de 1%, o que modela a fragilidade da retomada da produção e dos negócios, e, consequentemente, da geração de empregos no segmento.

O fraco desempenho do setor industrial em outubro segue o que ocorreu na maioria das 36 regiões industriais paulistas, 21 registraram resultados semelhantes, o que puxou para baixo também a variação no nível de emprego do Estado de São Paulo (-0,14%).

O saldo acumulado no ano na Região é de -2,91%, representando uma queda de aproximadamente 1.800 postos de trabalho. Nos últimos 12 meses, o acumulado é de -4,45%, ou seja, a perda de 2.750 postos de trabalho.

“Os números não deixam dúvidas de que o setor industrial ainda não conseguiu engrenar uma recuperação consistente. O fraco desempenho de setores importantes na indústria regional tem impactado negativamente várias outras cadeias produtivas. É difícil de acreditar que os resultados desse ano sejam piores do que os de 2018”, lamentou o diretor do CIESP Alto Tietê, José Francisco Caseiro. “Só nos resta seguir tirando leite de pedra e confiantes de que 2020 será um ano melhor”, acrescentou.

Em outubro, o nível de emprego industrial no Alto Tietê foi influenciado pelas variações negativas de Produtos de Metal, exceto Máquinas e Equipamentos (- 2,27%); Veículos Automotores e Autopeças (-0,88%); Máquinas e Equipamentos (-0,77%) e Celulose, Papel e Produtos de Papel (-0,60%), que foram os setores que mais influenciaram o cálculo do indicador total da região.

A tabela abaixo mostra o comportamento setorial dos meses de outubro de 2018 e 2019 e os acumulados no ano e em 12 meses. Os segmentos que mais demitiram foram os de metalurgica (-40,77), impressão e reprodução de gravações (-20%), máquinas e equipamentos (-5,9%) e produtos têxteis (-3,90%).

Já na outra métrica, com resultados positivos, estiveram áreas como produtos alimentícios (5,53%), bebidas (4,65%), móveis (7,69%) e celulose e papel (2,16%).

Complicação

Quando comparados os meses de outubro dos anos de 2018 e 2019, temos um cenário pior, pois em outubro de 2018 o resultado foi positivo em 0,44%.

Neste ano, os dados ligeiramente positivos em janeiro (0,95), abril (0,46%) e maio (0,38%). Em todos os demais meses, o nível do emprego foi negativo, mas outubro foi a primeira vez, em dois anos, que atinge a marca inferior a dois pontos percentuais.

Confira os números

Mês Acumulado de Empregos Índice (%)
Janeiro 600 0,95
Fevereiro -100 -0,17
Março -150 -0,28
Abril 300 0,46
Maio 250 0,38
Junho -550 -0,86
Julho -50 -0,11
Agosto -50 -0,06
Setembro -700 -1,16
Outubro -1250 -2,06

Fonte: Regional do Ciesp de Mogi das Cruzes


Deixe seu comentário