IGREJA CATÓLICA

Padres pedem cura da Covid-19 em sobrevoo

PELA CURA Padre Dorival de Moraes levará imagens de Nossa Senhora Aparecida e Rosa Mística em voo. (Foto: arquivo)

O Domingo de Ramos, comemorado amanhã pela Igreja Católica, será celebrado de forma diferente pela Diocese de Mogi das Cruzes por conta da prevenção ao novo coronavírus. Em vez de procissões com fiéis segurando folhagens para serem abençoadas pelos sacerdotes, comuns na programação anual do calendário religioso nesta época do ano, as paróquias cumprirão o ritual em atividades privadas e transmitidas pela internet, como já vêm ocorrendo com as missas nos últimos 15 dias. Já o padre Dorival Aparecido de Moraes, pároco do Santuário Sagrado Coração de Jesus, no Alto do Ipiranga, e o vigário-geral da Diocese, monsenhor Antônio Robson Gonçalves, irão sobrevoar a cidade e algumas cidades da região em um helicóptero.

A programação terá início às 9 horas, com a transmissão pelo Facebook e Instagram, da missa comandada pelo padre Dorival no Santuário, sem público e apenas com a equipe de trabalho no altar. No mesmo horário, o bispo dom Pedro Luiz Stringhini realiza a celebração eucarística na Catedral de Santana – também no sistema online e sem a presença dos fiéis -, e ao final vai ao Santuário buscar o ostensório (peça usada em cultos da Igreja Católia para expor a hóstia consagrada sobre o altar ou a transportar em procissão). De lá, os dois sairão em direção à sede do 17º Grupamento do Corpo de Bombeiros de Mogi, no Shangai, onde encontrarão o vigário-geral.

Enquanto dom Pedro entrega o ostensório a Antônio Robson, que levará a peça sagrada no helicóptero, o padre Dorival subirá na aeronave com as imagens de Nossa Senhora Aparecida e Nossa Senhora Rosa Mística, ajudado por seu secretário, Alexandre Glória.

Os religiosos, além do piloto, sairão às 11 horas do heliponto e devem sobrevoar Mogi e algumas cidades da região durante 12 minutos, com o objetivo de abençoar e também pedir bênçãos à população contra o novo coronavírus, que já infectou mais de 1 milhão de pessoas no mundo e levou cerca de 50 mil à morte. “Vamos pedir cura, paz, esperança e certeza para o povo que aguarda uma resposta, que só pode vir do céu. Os homens estão tentando por meio da vacina, mas isso ainda deve demorar e é Deus quem pode nos dar uma resposta. Aliás, ele já está dando-a com esta grande lição que o vírus traz para todos nós. Isso é algo indescritível, que livro algum conseguirá descrever. Deus age na simplicidade e no dia a dia das pessoas, mas para perceber isso é preciso ter fé e acreditar sempre que haverá o amanhã”, explica o padre Dorival.

Ele também destaca que, como a maioria da população brasileira é religiosa, a Igreja Católica quer mostrar aos fiéis sua participação na vida das pessoas neste momento difícil. “Precisamos de gestos concretos como este, em Jesus e Nossa Senhora serão visíveis passando sobre a cidade e nossas casas. Queremos provocar este sinal da presença deles nas nossas vidas. A Igreja de Mogi e de todo o Brasil está presente na vida de todos. Não isolamos o povo, só cumprimos a lei e as orientações médicas para que não haja público em massa, mas estamos juntos, vivendo esta situação ao lado das pessoas, com as missas pela internet, na TV, mensagens nos jornais, subindo em helicóptero para levar e pedir bênçãos, enfim… Estamos juntos nesta luta”, lembra.


Deixe seu comentário