INTEGRAÇÃO

Câmeras particulares vão ajudar a monitorar Mogi

O sistema de monitoramento da Prefeitura entrou em operação em 2011. Nos últimos anos foi ampliado e modernizado. (Foto: divulgação)

A Prefeitura aposta em um aumento de mais de 50% na rede de videomonitoramento em Mogi das Cruzes com a integração do sistema privado e público de câmeras na cidade. A Secretaria Municipal de Segurança Pública pretende buscar essa parceria com empreendimentos localizados na área central, em locais de movimentados e pontos estratégicos no município.

O secretário municipal de Segurança Pública, Paulo Roberto Madureira Sales explica que trabalho em conjunto deve ser iniciado já a partir das próximas semanas, depois que o prefeito Marcus Melo (PSDB) sancionar o projeto de lei de sua própria autoria que institui no município o Programa Rede Integrada de Segurança. A matéria, aprovada por unanimidade pela Câmara na sessão de anteontem, estabelece a integração do videomonitoramento em pontos da cidade, como logradouros, praças, prédios, parques, equipamentos públicos, veículos, entre outros.

Sales observa, no entanto, que essa parceria será feita com critério, apenas em locais de interesse público. Ele alega ainda que para que haja essa conexão, as câmeras particulares têm que ter as mesmas especificações do sistema adotado pela Prefeitura através da Central Integrada de Emergências Públicas (Ciemp).

O Programa Rede Integrada pode ter a colaboração de pessoas físicas e jurídicas, que para fazer o videomonitoramento das vias públicas precisarão comprovar a viabilidade do monitoramento e o interesse público da iniciativa. Os locais monitorados devem ser divulgados pela Prefeitura.

“O nosso objetivo é aumentar a fiscalização em locais estratégicos, de interesse público. Não podemos, por exemplo, atender pedidos de condomínios particulares para beneficiar os moradores”, reforça. Ele alega ainda que para que haja essa conexão, o sistema de câmera particular tem que ter as mesmas especificações.

O monitoramento das imagens geradas será feito por um comitê gestor, que inicialmente contaria com representantes do gabinete do prefeito, da Secretaria de Segurança, da Secretaria de Gestão Pública e da Secretaria de Transportes. A Comissão Permanente de Justiça e Redação, no entanto, apresentou uma emenda aditiva que insere a representação do Poder Legislativo municipal no comitê. A emenda foi aprovada pelo Plenário.

O sistema de monitoramento da Prefeitura entrou em operação em 2011. Nos últimos anos foi ampliado e modernizado e o número de câmeras móveis passou de 32 para 78 e o de fixas de 96 para 206, totalizando 284 equipamentos em toda a cidade. De acordo com Sales, o sistema, operado 24 horas pela Guarda Municipal, “é uma ferramenta essencial para melhorar a segurança e o trânsito na cidade”. Ele destaca ainda o interesse da Prefeitura em promover ações preventivas de combate a violência.