NO PALCO

Paróquias se unem pela Paixão de Cristo

A crucificação de Cristo é um dos pontos altos da encenação que revive o momento histórico e religioso que transformou o mundo. (Foto: divulgação)
A crucificação de Cristo é um dos pontos altos da encenação que revive o momento histórico e religioso que transformou o mundo. (Foto: divulgação)

Nesta sexta-feira, duas paróquias de Braz Cubas vão encenar juntas, pela primeira vez, ‘A Paixão e Morte de Jesus Cristo’. A apresentação será às 19 horas, na Paróquia São Maximiliano Kolbe, que, em parceria com a Igreja Nossa Senhora Aparecida e São Roque recriará a história bíblica adicionando novos acontecimentos sob o tema ‘Políticas Públicas’.

No palco, 80 atores se dividirão em diferentes cenas, interpretando, cantando e dançando, com o objetivo de “reviver o momento histórico e religioso que transformou o mundo”, como conta o professor universitário Marcelo Estevam da Silva, responsável pelo texto e roteiro.

O texto de Marcelo é ousado e se apoia em “lacunas” do material bíblico, imaginando como teriam sido certas situações, como uma conversa entre o governador Pilatos e o sumo sacerdote Caifás. “Quando se faz uma análise histórica, é interessante exercitar a criatividade para preencher lacunas, e é isso o que fazemos, mostrando um diálogo sobre administração pública e a construção de um aqueduto”.

No entanto, ainda que instigue o público a pensar em estratagemas políticos, o espetáculo não se esquece do motivo principal e apresentará a crucificação e ressurreição de Jesus ao ar livre. Para os fiéis, a peça deste ano é especial, pois significa a comemoração do “Jubileu de Prata”. “A primeira encenação das paróquias, ainda que separadas, foi em 1994, então são 25 anos, uma vida, de pesquisas, teatro e aprendizagem, não só da parte teórica mas também em nosso próprio relacionamento”, diz o roteirista.

Outro motivo pelo qual a montagem deste ano é diferente é o ineditismo da junção de duas paróquias num mesmo palco. “Antes, havia duas encenações, mas como na Paróquia Nossa Senhora e São Roque não há espaço para apresentações, os párocos decidiram unir forças e realizar um evento só”. O resultado disso é um espetáculo maior, que deve reunir entre duas e três mil pessoas, segundo a organização.

Marcelo destaca que, por consequência dessa união, toda a equipe aumentou, e coordenar tanta gente foi um desafio. “Diferente de outras encenações da região, não somos profissionais e ninguém ganha nada. É um trabalho voluntário e de fé, que depende de doações”, define, ao explicar que muitos dos atores serão figurantes, simulando o povo daquela época, e que outros cantarão músicas ao vivo.

A expectativa da equipe de produção é, com esta edição cheia de novidades, seja possível criar uma “miscigenação entre a poesia, a dança, as artes plásticas e o talento dos jovens”, servindo como base para “profundas reflexões, reunindo, num só texto, o tradicional, o escatológico e a crítica social”.

‘A Paixão e Morte de Jesus Cristo’ é gratuita, e para assistir basta comparecer no horário indicado à Paróquia São Maximiliano Kolbe. O endereço é Rua Francisco Vaz Coelho, 621, na Vila Lavínia, no Distrito de Braz Cubas, e o telefone para informações é 4738-3766.