Parque Centenário

Uma das coisas mais significativas para uma vida saudável e equilibrada de qualquer pessoa é o lazer.
Os momentos de diversão ajudam a renovar as energias, contudo, nem todos têm condições de pagar por eles, seja em razão de uma família mais numerosa ou porque os ganhos não permitem. Daí a importância da atuação do Poder Público, oportunizando acesso à cultura, ao esporte, enfim, à diversão gratuita. 

Cada cidade tem uma estrutura, e os avanços que diferem umas das outras dependem de políticas públicas perenes, de secretarias comprometidas e um Executivo atento às demandas, que não são estáticas, e os recursos limitados.

Em Mogi das Cruzes um exemplo de lazer que deu certo é o Parque Centenário, erguido para homenagear a imigração japonesa, inaugurado com grande pompa e formatado com o apoio da iniciativa privada em gestão anterior. Tinha réplica do navio Kasato Maru que transportou em 1908 o primeiro grupo de imigrantes japoneses, mas que ruiu, painéis e pontes sobre os lagos do antigo pesqueiro que funcionou no local e que fizeram a festa de muita gente. Talvez construídas de maneira açodada para sua inauguração, as pontes também “ruíram”, na verdade foram interditadas em nome da segurança, pois passaram a oferecer riscos aos freqüentadores do parque. Tomando de exemplo a cidade de Guararema onde várias pontes sobre o rio que corta aquele município fazem a alegria de muitos turistas, é possível concluir que sem agredir o meio ambiente dá para resgatar, no Parque Centenário, as pontes “japonesas” que inspiraram a sua inauguração.

Conversando com usuários do Centenário muitos acreditam que um olhar da Prefeitura para esse detalhe (há outros) poderia novamente lustrar tal área de lazer. Quem sabe ?


Deixe seu comentário