ARTIGO

Pedágio não!

José Francisco Caseiro

ciesp@ciespaltotiete.com.br

Como diz o ditado, desgraça pouca é bobagem. Não basta a difícil situação que a maioria vive em decorrência dos tropeços da economia brasileira, que levou recentemente a indústria da Região a demitir 600 pessoas, somos surpreendidos com a proposta de implantação de uma praça de pedágio na Mogi-Dutra, rodovia usada diariamente por milhares de estudantes e trabalhadores e um dos principais ramais de escoamento da produção agrícola e industrial da Região.

Uma proposta inconcebível, convenhamos. Pelo local indicado – próximo da estrada da Moralogia e simplesmente dividindo a cidade ao meio -, o momento em que é anunciada, já que ninguém suporta mais nenhum gasto financeiro, e as justificativas. Aliás, neste aspecto nos deparamos com a verdadeira moeda de troca: duplicamos a Rodovia Mogi-Bertioga desde que a Mogi-Dutra tenha pedágio.

Isso não se faz e chega a ser vergonhoso para nós que a Artesp apresente a proposta de um pedágio nesse local da Mogi-Dutra. Quero acreditar que o projeto tenha sido feito as pressas e sem os critérios técnicos necessários para tal disparate.

O aspecto positivo dessa polêmica anunciada tem sido a rápida manifestação da população, com a articulação de autoridades, moradores, empresários, estudantes em torno de um objetivo só: impedir que a proposta do pedágio na Mogi-Dutra avance. Uma união de forças que muito nos lembra a mobilização feita anos atrás para livrar Mogi das Cruzes de um aterro sanitário planejado para ser instalado no meio do Taboão, o principal distrito para expansão industrial na Região.

Mais uma vez o Distrito Industrial do Taboão tem seu desenvolvimento colocado na linha de risco, pois o pedágio representa um custo significativo no transporte das empresas e certamente compromete o funcionamento das indústrias já instaladas como afasta os novos investimentos.

E não se trata só do Taboão. Os reflexos negativos de um pedágio na Mogi-Dutra alcançam todos os setores da economia local e se expandem além dos limites de Mogi das Cruzes, comprometendo a Região toda. Portanto, a bandeira agora é Pedágio Não!

José Francisco Caseiro é diretor do Sistema Fiesp/Ciesp no Alto Tietê

Deixe seu comentário