FUTEBOL

Pedro Valini, revelação mogiana, vai para o Benfica

HABILIDADE Pedro Valini, que hoje defende o Sport Benfica Mogi, está sendo preparado para o futebol desde os três anos de idade. (Foto: Eisner Soares)
HABILIDADE Pedro Valini, que hoje defende o Sport Benfica Mogi, está sendo preparado para o futebol desde os três anos de idade. (Foto: Eisner Soares)

O fato de ser um jogador moderno e cumpridor de todas as funções estipuladas pelo técnico, foi o suficiente para o mogiano Pedro Valini, de apenas oito anos, ser aprovado em um teste de 12 dias para integrar a equipe de futsal sub-10 do Benfica, clube tradicional de Lisboa, em Portugal. E para jogar futebol, fazer o que mais gosta, o garoto viaja no próximo mês para a Europa, com a família, onde começará a cumprir um período de três anos na centenária agremiação portuguesa, onde o avô Moraes Martins, na década de 1960, desfilou pelo gramado do estádio da Luz.

A última etapa para o principal desafio de Pedro será hoje quando, ao lado dos pais Edson e Mariani Sonsini e das duas irmãs mais jovens, viaja para jogar a Disney Cup, em Orlando (Estados Unidos) pelo time da Esporte & Cia, sob o comando da professora Fernanda Grande. “Eles gostaram do Pedro por ser um jogador moderno, mecânico. Na Europa não tem muito isso de jogador driblador. O negócio lá é mais tático, o Pedro é canhoto e se encaixa perfeitamente”, disse Sonsini.

A possibilidade de Pedro jogar futebol em um grande clube e até na Europa é um grande sonho do avô Moraes Martins, que depois de “pendurar” as chuteiras foi técnico do União.

Desde os três anos de idade, Moraes, com a aprovação dos pais, ensinou os primeiros fundamentos do futebol para Pedro. “É meu neto. Quem não sonha em ter um familiar jogando futebol. Desde pequenininho ensinei o Pedro a chutar, dominar, passar a bola”, disse o avô Moraes, ex-ponta-direita do Palmeiras, Portuguesa, Benfica, Juventus – entre outros grandes clubes do futebol.

Como os familiares observaram que Pedro adorava futebol, aos seis anos de idade participou de uma seleção para defender o Palmeiras. Uma das responsáveis pela atividade era a professora Fernanda. “O pessoal do Palmeiras gostou. Mas ela pediu para o Pedro fazer mais trabalhos físicos, de mobilidade, técnico e tático”, explicou Edson Sonsini, empresário do setor imobiliário.

Assim, os pais conheceram o técnico Washington Carrião, o Cavera, que ficou responsável pelo trabalho de evolução do garoto, que atua como ala-fixo no futsal e como volante no futebol de campo. “Ele ficou dois anos fazendo treinos específicos comigo. Neste período ele fez vários testes e chegou a passar na Portuguesa, mas depois optou por ficar aqui em Mogi”, afirmou Cavera, hoje treinador do Sport Benfica, equipe de futsal mogiana que disputa campeonatos das categorias de base promovidos pela Federação Paulista de Futebol de Salão (FPFS).

De acordo com Sonsini, a oportunidade de levar Pedro ao Benfica surgiu por acaso. “Não teve nada com o Moraes. Estava na praia com a Mariane e pensamos na possibilidade de levar o Pedro para jogar fora do Brasil. Mandamos algumas solicitações e entre elas o Benfica respondeu. Pediram vídeos e foi quando surgiu a chance do teste. Por enquanto deu tudo certo”, ressaltou Edson, que já alugou casa e partirá com a família para dar um futuro melhor para os filhos.

Gerson Lourenço

Gerson Lourenço

Deixe seu comentário