INVESTIGAÇÃO

Polícia Civil apura morte de ajudante no trecho leste do Rodoanel, em Itaquaquecetuba

TRAFÉGIA Execução de Jefferson de Jesus Santos foi cometida no trecho leste do Rodoanel, em Itaquaquecetuba. (Foto: arquivo)

O assassinato do ajudante Jefferson de Jesus Santos, de 21 anos, solteiro, praticado durante uma “briga de trânsito”, por volta das 16 horas deste domingo, no Rodoanel, km 118, trecho leste, no Jardim Joseli, em Itaquaquecetuba, já está sendo investigado pelo delegado titular Rubens José Angelo e a sua equipe, do Setor de Homicídios de Mogi das Cruzes. Nesta terça-feira (17),, a autoridade disse a O Diário que já ouviu testemunhas do crime e buscava por filmagens da rodovia para tentar identificar o condutor do veículo, o qual efetuou os disparos e fugiu.

Jefferson de Jesus viajava como passageiro no caminhão FVT-8249, de Osasco, de propriedade da Drogaria São Paulo. O veículo era dirigido por Gilmar do Nascimento, de 41 anos, morador em Carapicuiba.

Ele contou para a Polícia Rodoviária que trafegava normalmente quando surgiu um veículo de cor preta, cujo motorista empunhando uma arma emparelhou com o caminhão. “Eu fechei o veículo par atentar me defender das ameaças”, explicou ao delegado Danilo Sene, de plantão na Central de Flagrantes, no Distrito Central, em Itaquá.

O motorista nervoso reduziu a velocidade e tentou ultrapassar pela direita, vindo a ficar ao lado do caminhão e acionar a arma dele. Um dos tiros bateu na coluna do caminhão, ricocheteou e atingiu a cabeça do ajudante Jefferson de Jesus. O autor do crime acelerou o carro preto e escapou na companhia de uma mulher.

Ele foi descrito por Gilmar do Nascimento como sendo um homem negro, de 36 anos presumíveis. De acordo com o motorista “sou capaz de reconhecer o casal”. Disse ainda ainda que o responsável pelo assassinato usou uma pistola automática de cor preta.

Para a Polícia Civil, é um caso difícil, mas não impossível. O delegado Rubens Angelo observa que “quem tiver alguma informação que possa ajudar nas investigações que levem a identificar o autor do crime pode ligar para o nº 181, do Disque Denúncia ou 4721.1221, do Setor de Homicídios de Mogi. Não é preciso se identificar”.

O ajudante Jefferson de Jesus apesar de baleado foi socorrido no local do crime e chegando falando no Hospital Santa Marcelina, onde se submeteu à uma cirurgia, mas logo depois faleceu.

Deixe seu comentário