AÇÕES

Polícia localiza carro roubado durante investigação em Suzano

BUSCAS Desde veículo roubado recuperado em Suzano, equipes da Delegacia do Meio Ambiente também apuram crimes ambientais. (Foto: divulgação)
BUSCAS Desde veículo roubado recuperado em Suzano, equipes da Delegacia do Meio Ambiente também apuram crimes ambientais. (Foto: divulgação)

Um veículo abandonado, roubado em 16 de setembro último, foi recuperado ontem pelos investigadores Jorge e Carlos, da Delegacia de Meio Ambiente de Mogi das Cruzes, na estrada do Tanaka, no Recreio Rio Bonito, em Suzano. Segundo o delegado titular Francisco Del Poente, que registrou o boletim de ocorrência sobre localização de veículo, seus policiais acharam o carro durante buscas visando apurar crimes ambientais.

“Eles vistoriaram o automóvel, verificaram adulteração na placa do Fiat Palio e após a consulta confirmaram o roubo. Eles são orientados a atenderem qualquer tipo de ocorrência”, afirmou Del Poente. Nessa ocorrência, ele mobilizou, além dos policiais civis Jorge e Carlos, o investigador chefe Cardoso e os escrivães Ismael (chefe) e Cláudia.

Crimes

A mesma equipe de policiais civis se deparou na rua José Juca Assim, no Conjunto Residencial do Bosque, com Plínio da Silva Teles, que despejava resíduo sólido irregularmente em um terreno baldio.

Já a caminho da delegacia, em Braz Cubas, os investigadores Jorge e Carlos se depararam com um caminhão Ford 600, operado por Benedito Carlos Pereira, também jogando restos de construção civil em uma área proibida. Os dois condutores se tornaram autores de crimes ambientais, conforme decisão do delegado Francisco Del Poente, que elaborou os procedimentos com o auxílio das escrivãs Claudia e Barbara.

Em diligências, os policiais civis Edmilson e Antonio, da Delegacia do Meio Ambiente, constataram que uma empresa de frutas e hortaliças realizava uma ampliação e descartava resíduos sólidos irregularmente. A gerente da firma virou autora de crime ambiental  em termo circunstanciado já encaminhado à Justiça.

No Jardim América, em Suzano, Jorge e Carlos, da Delegacia do Meio Ambiente, descobriram uma casa em fase final de construção. A vegetação do terreno onde foi feita a obra havia sido devastada sem autorização.

O responsável pelo crime ambiental, Jailson Antonio da Silva, foi levado à sede da unida policial, onde o delegado titular Francisco Del Poente disse que “Jailson vai responder por impedir ou dificultar a regeneração natural de florestas”.

Deixe seu comentário