SERVIÇO ESSENCIAL

Polícias se organizam no combate ao novo coronavírus em Mogi

Viaturas percorrem área central com o comércio fechado para prevenir possíveis furtos, (Foto: arquivo)
Viaturas percorrem área central com o comércio fechado para prevenir possíveis furtos, (Foto: Elton Ishikawa)

Serviço essencial para manter a ordem pública, a atuação da polícia se torna ainda mais imprescindível na conjuntura em que as ruas estão mais vazias, a fim de proteger as poucas pessoas que estão nas ruas, bem como os estabelecimentos que ficam fechados por 24 horas, durante a quarentena obrigatória à prevenção do novo coronavírus. Por conta disso, os agentes de segurança também receberam recomendações de como se prevenirem contra o novo vírus e, consequentemente, suas famílias e a população.

O major Wilson Galvão Junior, da Polícia Militar, que atua como chefe da divisão administrativa do Comando de Policiamento de Área Metropolitana (CPAM-12), responsável pelo Alto Tietê, explica que a corporação conta com uma diretoria em saúde que presta suporte a eles. Uma das medidas adotadas foi a redução de efetivo nos prédios. Em contrapartida, esses agentes foram às ruas, reforçar à população sobre os cuidados contra a Covid-19, e também garantir a segurança.

“Os policiais têm álcool em gel à disposição. A viatura passa por uma higienização durante a troca de turno. Mas se essa viatura tem contato com algum tipo de ocorrência em que se suspeita ou evidencia a suspeita de coronavírus, ela segue para uma higienização ainda maior. Todo o policial que sente algum desconforto, ele passa na área médica, e a profissional decide pelo sim ou não do afastamento dele, ou se deve atuar em home office”, detalha o Major.

Além disso, a corporação conta com diversos vídeos institucionais de conscientização e também com orientações de como o agente deve se portar para garantir a saúde dele e também a da família, ao chegar a casa.

O major reforça ainda as ações da PM também foram intensificadas nos locais com maior concentração de comércios, que estão fechados por conta dos decretos de quarentena. “A gente tem contado muito com a ajuda do programa Vizinhança Solidária. A gente frisa que ele surte efeito, porque à medida que o cidadão se conscientiza que ele também faz parte do sistema e pode ajudar, há uma quebra de paradigma na relação dele com a polícia e o resultado é positivo”, pontua.

Em relação aos policiais civis, a Secretaria de Estado de Segurança Pública informou que tem adotado todas as medidas necessárias para garantir a proteção acerca da Covid-19, como aquisição e distribuição de novos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), máscaras e luvas, para os servidores e agentes de segurança. Além disso, desde a última quarta-feira (25), o atendimento da Delegacia Eletrônica foi ampliado, permitindo o registro de um maior número de ocorrências.

“Agora é possível notificar pela internet roubo ou furto a residência; roubo ou furto a estabelecimento comercial; crimes contra o consumidor; roubo ou furto de carga; ameaça; estelionato; entre outros. O aumento das opções de registros de B.Os eletrônicos, além combater a subnotificação, atende às recomendações das autoridades de saúde no combate à Covid-19, evitando a aglomeração de pessoas nas unidades policiais”, destacou o texto enviado a O Diário. A reportagem tentou entrevista com o Corpo de Bombeiros, mas foi informada que a corporação não fala sobre o novo coronavírus.


Deixe seu comentário