PR prepara candidatos a vereador para eleição

Uma reunião, no último final de semana, serviu como preparatória para os virtuais candidatos a vereador do PR.A reunião, no auditório do Helbor Tower, foi comandada pelo deputado estadual Marcos Damásio e foi marcada por informações úteis aos concorrentes à Câmara. Uma espécie de injeção de ânimo nos candidatos, já que o partido demonstrou que pretende sair de seis para oito vereadores nestas eleições. De maneira que se todos os que estão hoje na Câmara conseguirem se reeleger, ainda haverá espaço para dois novos nomes, de acordo com as previsões otimistas de Damásio. O prefeito Marco Bertaiolli (PSD) participou do encontro e deu conselhos aos futuros concorrentes para que não tenham vergonha de pedir votos. “Hoje, o PSD e PR detêm o maior número de cadeiras na Câmara. Se continuarmos caminhando juntos, temos condições de aumentar nossa participação ainda mais”, disse Bertaiolli. Parte da reunião serviu também para um debate sobre a participação do PR nas eleições majoritárias da Cidade. “Já passou da hora de o PR ter um prefeito em Mogi”, disse o recém-chegado Clodoaldo de Moraes, após deixar o PT. Sadao Sakai, outro vereador, também defendeu uma candidatura à Prefeitura, como meio de “consolidar a atuação do partido”. Já Damásio foi cauteloso: “O momento é de preparar o time para a Câmara”, disse ele, procurando adiar a discussão sobre o tema. Já se aproximando do final da reunião, coube a Damásio perpetrar a frase definitiva do dia: “A discussão sobre a eleição majoritária será discutida em breve”, disse ele, emendando: “O homem tem planos, mas somente Deus é quem define quando as coisas vão acontecer e como devem acontecer”. Ao final da reunião, um político presente ao encontro, após ouvir Damásio, saiu-se com essa: “Não sabia que tinham mudado o nome de Valdemar Costa Neto para Deus”.

COTIDIANO

Num barranco, à margem da ligação Mogi-Salesópolis,  a capela em miniatura lembra provável vítima de acidente ali ocorrido / Foto: Edson Martins
Num barranco, à margem da ligação Mogi-Salesópolis, a capela em miniatura lembra provável vítima de acidente ali ocorrido / Foto: Edson Martins

FRASE

O que você precisa para ficar com a gente?

Lula da Silva, ex-presidente negociando o voto de deputados, segundo o jornal Folha de S. Paulo

Com a tocha
O mogiano Marcos Antonio Xavier Franco, que levou para o Rio Grande do Norte as delícias de seu restaurante Trivial, que fez muito sucesso cá na terrinha, é um dos escolhidos pelo Comitê Olímpico Internacional para conduzir a tocha olímpica, no dia 4 de junho, durante sua passagem por Natal. “Acredito estar representando todos que amam o esporte e, principalmente, o Clube Náutico Mogiano, onde estudei e que me permitiu participar de várias competições de natação, entre 1975 e 1976”, disse ele.

Chineses
A delegação chinesa que disputará as competições de golfe nos Jogos Olímpicos do Rio, em agosto, irá se hospedar em Mogi das Cruzes. Ficará no Paradise, onde ficou a Seleção de Futebol da Bélgica durante a Copa do Mundo de 2014, e foi também uma das sedes da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Os chineses foram atraídos pela infraestrutura do hotel e, principalmente, pelo campo de golfe em tamanho oficial, que facilitará os treinos dos golfistas, a partir de 1º de agosto.

Paralimpíadas
O trabalho do bicampeão paralímpico de bocha Dirceu Pinto, à frente dos treinamentos, no Centro Municipal de Paradesportos, construído durante a atual administração municipal, já começa a oferecer os primeiros resultados concretos. O mogiano Maciel Santos, outro praticante de bocha paralímpica, também se classificou para representar o Brasil nas disputas deste ano, no Rio de Janeiro.

TEM
A partir do dia 25 de maio próximo, o Teatro Experimental Mogiano irá usar o Casarão do Carmo, sempre às quartas-feiras, para promover o “TEM Leituras Dramáticas”, que pretende incentivar os autores mogianos a produzir textos a serem interpretados em público. O trabalho será uma espécie de aquecimento para a montagem da peça “O Santo Inquérito”, escrita por Dias Gomes, a ser apresentada em julho próximo. Em 1966, com este trabalho, Gomes retomou a motivação histórica da Inquisição para iluminar o tempo presente, de modo que o espectador refletisse sobre sua realidade para poder transformá-la. Algo igualmente importante nos dias atuais.