SOLIDARIEDADE

Prefeitura de Mogi das Cruzes inicia a distribuição de mil cestas básica

SOCIAL Cestas são entregues a pessoas que tiveram a atividade profissional suspensa pela quarentena. (Foto: divulgação)

A Prefeitura de Mogi das Cruzes já iniciou a distribuição de mil cestas básicas a autônomos, microempresários individuais e pessoas que tiveram suas atividades profissionais suspensas pela quarentena para o combate ao novo coronavírus. Os alimentos começaram a ser entregues na última sexta-feira, por meio de um trabalho coordenado pelo Comitê de Ação Social e Econômica – Case.

Até o momento são mais de 15.319 mil cadastrados no programa para receber os benefícios do município. A expectativa é de que esses números aumentem nos próximos dias com as novas inscrições que estão sendo feitas pelo telefone 156 ou no site da Prefeitura, na página da Ouvidoria Pública ou pelo aplicativo Ouve.

De acordo com um dos membros do Comitê, o secretário de Gabinete da Prefeitura, Romildo Campello, este primeiro lote, composto de quatro mil cestas, continuará sendo distribuído nesta semana. As pessoas só passam a receber as doações após análise do perfil e cruzamento de dados feito pela administração com base nas informações dos cadastros.

Para este trabalho, a Prefeitura está utilizando produtos da merenda escolar, que não estão sendo consumidos pelos alunos da rede municipal, atualmente com aulas suspensas. O município também vem contando com doações e ajuda de alguns supermercados da cidade.

O secretário alega que existe urgência em realizar essa distribuição. “São pessoas que estão contando com as cestas básicas para se alimentar nesse período de quarentena. Muitas dizem que já está faltando alimento em casa e precisam dessa ajuda”, comenta. Ele acredita que o número de beneficiados deve aumentar nos próximos dias, já que as inscrições continuam abertas.

Além dessa ação da Prefeitura, Campello lembra que um grupo de motoristas de transportes por aplicativos da cidade está fazendo campanha de arrecadação de material de higiene e limpeza para distribuir às famílias mais necessitadas.

Várias entidades assistenciais da cidade também estão organizando campanhas de arrecadação, mas o secretário pede a elas que procurem os representantes do Case na Prefeitura para que esse trabalho possa ser feito de forma integrada, a fim de atender todos os que estão precisando, e evitar, por exemplo, que alguns recebam duas vezes e falte para outros.

“A nossa meta é ajudar as pessoas que estão sem trabalhar e não estão conseguindo gerar receita e renda nesse período de quarentena. Queremos atender todos os inscritos com o nosso trabalho”, reforça Campelo.

Segundo ele, entre os profissionais que poderão ser beneficiados estão os microcomerciantes, pequenos empreendedores e profissionais autônomos, como vendedores, cabeleireiros, manicures, pedreiros, doceiras, trabalhadores que exercem outras atividades e serviços que tiveram seus ganhos impactados com a quarentena.

O comitê instituído pelo prefeito Marcus Melo (PSDB) objetiva a organização de ações, orientações e condutas para prevenir e reduzir os impactos dos efeitos gerados durante esse período do estado de calamidade pública em Mogi das Cruzes, resultante da epidemia causada pelo coronavírus.

O Case conta com a participação do presidente da Câmara, Sadao Sakai; da secretária municipal de Assistência Social, Neusa Marialva; da diretora responsável pelo Emprega Mogi, Gláucia Coutinho; e dos representantes do gabinete, Alexandre Orsi de Melo, e do Fundo Social, Ralph Santos Naure.


Deixe seu comentário