INFORMAÇÃO

Preso, ex-prefeito Filló sofre nova condenação

Mais oito pessoas foram sentenciadas no mesmo processo

Preso em uma penitenciária de Guarulhos, na Grande São Paulo, o ex-prefeito de Ferraz de Vasconcelos, jornalista Acir Filló dos Santos, sofre nova condenação. Numa ação movida pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), o político e mais oito pessoas, entre elas alguns familiares do político, foram sentenciados com base na lei de lavagem de dinheiro. A pena aplicada ao ex-prefeito foi de 13 anos e quatro meses de reclusão, em regime inicial fechado, mais pagamento de 43 dias-multa. Nos demais envolvidos, as sentenças variaram entre três e cinco anos de reclusão, mais multa. Fora Filló, que já está na cadeia por conta de condenações em outras ações penais, os oito réus poderão recorrer em liberdade. A descrição do Gaeco para os crimes de Filló faz lembrar o que aconteceu com o ex-prefeito do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral. Segundo os promotores, Filló estabeleceu um “esquema criminoso para o desvio de dinheiro dos cofres públicos, valendo-se do setor de licitações da Prefeitura de Ferraz de Vasconcelos, envolvendo dispensas indevidas de licitação, fraudes na cotação de preços, direcionamento dos procedimentos licitatórios e superfaturamento dos valores dos produtos, além de fraudes na execução dos contatos”. Ainda conforme o Gaeco, o ex-prefeito teve uma evolução em seu patrimônio pessoal de, pelo menos, 31 vezes, durante o exercício de seu mandato. Na sentença, a Justiça decretou ainda a perda, em favor do Estado, de todos os bens, direitos e valores descritos na denúncia, avaliados em torno de R$ 5 milhões, incluindo aqueles usados para prestar a fiança. Também decidiu pela interdição do exercício de cargo ou função pública de qualquer natureza pelo dobro do tempo de pena privativa de liberdade aplicada a cada um dos réus.

Eleições

O advogado Luiz Davi Costa Faria, especialista em legislação eleitoral, está pronto para oferecer aos partidos políticos da cidade uma palestra de duas horas mostrando tudo o que se pode não pode fazer em termos de propaganda na próxima corrida municipal, desde a pré-campanha até o dia do pleito, incluindo as inovações da lei e com destaque para a o uso da internet. A palestra, com apresentação multimída, também oferece uma “sessão tira-dúvidas” para os candidatos.

Em Mogi

Presente em oito países da América Latina, com cerca de 1.500 lojas, a rede de franquias de materiais de construção Disensa cega a São Paulo com suas três primeiras unidades, uma delas em Mogi das Cruzes. Há dois anos no Brasil, a rede instalou 130 lojas no Rio, Bahia, Pernambuco e Paraíba. A loja de Mogi, prevista para abrir em março, irá funcionar na Rua Joaquim Melo Freire Júnior, 1.657, na Vila Oliveira.

Contrato

Sem necessidade de licitação, a Justiça Federal firmou contrato com o Semae para fornecimento de água encanada e serviços de coleta de esgotos para o Fórum de Mogi, durante todo este ano. Valor total da empreitada: R$9.360,00.

Para pensar

O que teria levado a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) a excluir a estação ferroviária de Braz Cubas do chamamento público para concessão? A medida alcançou apenas outras três estações da cidade: a Central, dos Estudantes, e de Jundiapeba. Todas elas merecem obras, mas a de Braz Cubas está em situação semelhante ou bem pior que as demais. Com a palavra, a CPTM.

Frase

As únicas pessoas que se enfurecem ao ouvir a verdade são aquelas que vivem na mentira.

Sérgio Moro, ministro da Justiça do Brasil


Deixe seu comentário