POLÍCIA

Preso trio acusado de roubos a bancos

Terminou na madrugada de domingo o auto de prisão em flagrante elaborado em desfavor de dois homens e uma mulher que teriam participação em roubos a caixas eletrônicos. Em uma oficina na rua Lavínio Salles Arcuri, no bairro do Limão, na área do 40º Distrito Policial, na Vila Maria, na zona norte de São Paulo, investigadores, da Delegacia Central de Itaquaquecetuba, prenderam os acusados, o comerciante Eliseo Fabiano Júnior, de 39 anos, a técnica em enfermagem Ana Paula da Boanova Cordeiro Rasch, de 34 anos, e o mecânico de automóvel Edson Mendes dos Santos.

No local, a equipe encontrou vários apetrechos empregados em assaltos como cordas que servem como guias no interior de caixas eletrônicos, 101 cartuchos de emulsão e cerca de 200 quilos de explosivo, que estavam a 100 metros da oficina, na casa de Ana Paula, além de drogas, R$ 24 mil e celulares.

Um terceiro suspeito, o empresário Tiago Ciro Tadeu Faria, de 38 anos, foi conduzido à delegacia e qualificado, porém, ele será investigado em liberdade.

O trio apontado como autor de ataques à caixas eletrônicos foram autuados em flagrante por associação criminosa e portar explosivos. Eliseo e Edson continuavam nesta segunda-feira presos na Cadeia Pública de Mogi. Já Ana Paula aguardava decisão da Justiça no presídio feminino improvisado na Delegacia Central de Itaquá.

Os materiais explosivos apreendidos com os criminosos foram entregues ao Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais) que iriam cuidar de detoná-los com muito cuidado.

Na delegacia, Ana Paula, Edson e Eliseo confessaram que na hora da prisão contavam os R$ 24 mil e o dinheiro era proveniente da venda de entorpecentes em Osasco e seria entregue na oficina ao traficante Moisés, conhecido como “Véio”, que atua em Piracicaba. A quadrilha ainda conta com outros dois bandidos envolvidos: “Neguinho” e “Gianechini”.

“Gianechini foi quem deixou os 200 quilos de explosivos em casa. Ele estava com um cara chamado Kid e os dois foram embora num carro tipo Jeta. Ele me prometeu pagar pelo armazenamento dos explosivos logo depois de fazer uma fita (roubo)”, afirmou Ana Paula aos policiais civis.

Na ação de sábado foram empregados policiais da Delegacia de Itaquá, Garra, Ger (Grupo Especial de Reação) e até uma equipe do Sat (Serviço Aerotático da Polícia Civil) que mobilizou o Pelicano, uma de suas aeronaves.


Deixe seu comentário