Produtores rurais de Mogi pedem ajuda para doar alimentos

Projeto de Quatinga destinou 40 toneladas de verduras a famílias e agora busca apoio financeiro. (Foto: Arquivo)
Projeto de Quatinga destinou 40 toneladas de verduras a famílias e agora busca apoio financeiro. (Foto: Arquivo)

Não desperdiçar alimentos e manter a estabilidade financeira dos produtores do Quatinga, em Mogi das Cruzes, são os principais objetivos formado por onze trabalhadores do Distrito. Desde o início da pandemia do novo coronavírus, eles se uniram para tentar escoar as mercadorias de uma maneira solidária, o que já resultou na doação de toneladas de alimentos. Agora, eles buscam pela consolidação de novas parcerias e até mesmo pela contribuição de pessoas físicas pela internet.

À frente do projeto, a produtora Simone Silotti conta que somente para a próxima semana eles têm 11 toneladas para serem doadas. Por mais que seja um ato de solidariedade, fica difícil concretizar sem um apoio financeiro, já que ela gera gastos com a finalização dos produtos e também com toda a logística para a distribuição e entrega às entidades.

“É importante ressaltar que a finalização da colheita representa quase que 40% do custo, então fica muito difícil doar sem uma contrapartida. A gente precisa manter os motores irrigando, a mão de obra, os cuidados para evitar pragas, fazer manutenção, embalar… Infelizmente não é só colher e colocar de qualquer jeito para entregar, tem muita coisa que precisa ser feita”, reforça.

Simone ressalta que além de tocar a própria atividade, tem buscado levar um pouco de alento aos outros produtores, que muitas vezes trabalham somente com os membros da própria família. Outros deles contam com o trabalho de alguns funcionários que, até o momento, não precisaram ser demitidos. A situação pode ser diferente com a falta de apoio.

Em uma parceria com a Fundação Banco do Brasil firmada em maio, produtores do Distrito e também de outras regiões de Mogi venderam 100 toneladas de alimentos que foram distribuídas em 10 mil cestas básicas a 5 mil famílias da cidade, sendo que cada uma delas recebeu dois kits de alimentos divididos em dois meses.

Do Quatinga sairam 40 toneladas de alface, agrião, rúcula, coentro e hortelã, sendo tudo hidropônico. Por lá, 11 produções foram envolvidas com o projeto, o que a abrange 20 membros das famílias e outros 32 funcionários. Em Jundiapeba, de onde saíram outras 40 toneladas de legumes como cenoura, beterraba, abobrinha e mandioca participaram mais 51 pessoas. De pontos mais espalhados do município partiram 20 toneladas de frutas.

Os produtores conseguiram ainda uma parceria com a Yara Brasil, que inicialmente comprou duas toneladas de produtos e se prontificou a comprar mais uma, e também com a Braskem, que já adquiriu uma tonelada de alimentos e deverá adquirir uma nova quantia.

Mesmo antes das parcerias, os produtores conseguiram doar 9 toneladas de alimentos para entidades mogianas e de outras cidades de São Paulo. Para isso, pediram ajuda por meio da internet. Inicialmente, as doações vinham dependendo somente dos esforços dos trabalhadores rurais e da uma “vaquinha” online. Pelo link vaka.me/965999 é possível fazer a doação de valores que vão colaborar para que o projeto seja ampliado e mais famílias sejam beneficiadas.

No site é possível ainda acompanhar como o dinheiro vem sendo investido e onde as doações estão sendo feitas. Atualmente, além de Mogi, outras cidades como Santo André, Suzano e São Paulo também já receberam as doações.


Deixe seu comentário