LIVRO

Professor mogiano lança ‘A Saga das Galinhas’

A Saga das Galinhas, primeiro livro de Cláudio Ferreira, reúne contos infantis. (Foto: divulgação)
OBRA Cláudio Ferreira dos Santos lança amanhã “A Saga das Galinhas” no Centro Cultural de Mogi. (Foto: divulgação)

Após participar de oito antologias poéticas, o engenheiro e professor mogiano, Cláudio Ferreira dos Santos, 60 anos, irá lançar o primeiro livro de sua autoria. “A Saga das Galinhas” (Editora Biblioteca 24 Horas, 110 págs., R$ 20,00) traz uma coletânea de 11 contos infantis destinados, segundo o autor, “a crianças de 9 a 99 anos”.

O lançamento acontece amanhã, às 19 horas, na sala Wilma Ramos do Centro Cultural de Mogi das Cruzes, na praça Monsenhor Roque Pinto de Barros, próximo à Catedral.

A ideia de escrever um livro com histórias sobre um grupo de galinhas nasceu há 10 anos, quando o autor decidiu aproveitar o espaço localizado nos fundos do quintal de sua casa para construir um galinheiro, onde passaram a conviver, pacificamente, duas dezenas e meia de aves.

Todos os dias, ao chegar do trabalho, Cláudio ouvia histórias sobre o comportamento das galinhas, que lhe eram contadas pela esposa Geovana, que acompanhava de perto o movimento das ocupantes que logo receberam nomes.

À medida que os casos iam ocorrendo, o escritor colocava a imaginação para funcionar e os primeiros contos foram surgindo, com diálogos entre as galinhas no mais legítimo “caipirês”, como convinha a histórias que tinham como personagens as legítimas caipiras. Mais que isso, cada uma com um nome e personalidade diferentes. Sílvia, por exemplo, era a mais sabichona de todas; já a Topetuda ganhou tal denominação pelo topete de penas marrons e eriçadas, que trazia na parte superior da cabeça. E havia ainda a Isabel, Titica, Marly e até Clotilde, entre outras.

Os temas por ela vividos, no entanto, não se limitavam ao universo rural. As galinhas de Cláudio logo passaram a tratar de assuntos como Natal, olimpíadas e até, imaginem só, halloween e discos voadores. Uma estranha no ninho, o dia em que o galinheiro parou, são outros “causos” do livro que tem ainda o caso dos ovos de ouro, numa alusão distante à galinha dos ovos de ouro que, na história original, tem um final trágico, por conta da ambição de seu dono que não se contentava mais em colher um ovo de ouro a cada dia e decidiu matar a ave imaginando, erroneamente, que o interior dela fosse inteiro dourado. Como Esopo, ao final de cada conto, uma lição com a moral da história.

Indústria e aulas

O escritor Cláudio Ferreira sempre gostou de escrever. De poesia a contos, passando por romances, crônicas e afins. Tal hobby, entretanto, só ganhou mais força depois que foi trocando, progressivamente as atividades de engenheiro industrial mecânico na Howa, Dresser e Komatsu, exercidas durante 40 anos, pelas salas da Etec Presidente Vargas, onde, nos últimos dez anos, vem ensinando aos alunos as noções básicas da mecânica e mecatrônica.

Pós-graduado em Engenharia de Produção, com MBA em Administração, Cláudio também é ocupante da cadeira nº 4 da Academia Mogicruzense de História, Artes e Letras (Amahal) de Mogi das Cruzes, que tem como patrono o escritor e historiador Isaac Grinberg.

“Esse livro é fruto da minha imaginação de criança. Trata-se de um livro infantil feito para cativar as crianças de 9 a 99 anos”, diz o autor. “A Saga das Galinhas” poderá ser adquirido pela internet, nos sites Submarino e Amazon, além da Livraria Martins Fontes (São Paulo), e na Banca Patão, em Mogi. Ele também negocia a venda da obra nas duas principais livrarias da cidade, a LER e Leitura (Mogi Shopping).

Cláudio, no entanto, promete não parar por aí. E já está preparando sua próxima obra, um romance, denominado “Quando os ipês amarelos florescem”.