DESENVOLVE MOGI

Programa quer gerar vagas e renda em Mogi

NOVO Melo assina termo de adesão a programas do Sebrae no lançamento do Desenvolve Mogi. (Foto: Junior Lago - divulgação)
NOVO Melo assina termo de adesão a programas do Sebrae no lançamento do Desenvolve Mogi. (Foto: Junior Lago – divulgação)

O prefeito Marcus Melo (PSDB) propõe parceria com empresários e diversos segmentos para desenvolver ações a fim de atrair investimentos e alavancar o crescimento da cidade, que apesar de seu potencial, está perdendo posição no ranking econômico da região e do Estado, apresentando baixo desempenho no nível de emprego e salários dos trabalhadores.

A proposta foi apresentada pelo prefeito na noite de segunda-feira a empresários e representantes de entidades ligadas à indústria, comércio, serviços, empreendedorismo e representantes de entidades classistas da cidade, que lotou o auditório da Prefeitura durante o lançamento do Desenvolve Mogi, programa que incentiva o empreendedorismo, investimentos em tecnologia e mão de obra para atender as novas demandas do mercado, com melhor geração de renda.

A meta do programa é criar 10 mil novos empregos na cidade nos dois próximos anos e requalificar cerca de 40 mil pessoas. Para atingir esses números, Melo explica que a Prefeitura vai implementar um novo modelo de desenvolvimento econômico e social, baseado no diálogo e na troca de experiências entre os envolvidos, utilizando como base o tripé inovação, qualificação e investimento.

“Porém, mais do que criar empregos, o objetivo é oferecer melhores empregos”, destacou Melo, baseado em números pesquisados que retratam o atual cenário econômico de Mogi, onde os trabalhadores recebem salário aproximadamente 30% inferior em comparação com os valores pagos em outras cidades com as mesmas características. A indústria remunera melhor do que os outros setores, mas representa apenas 17% do total de mão de obra do município. As áreas de serviço e comércio mantêm 75% dos trabalhadores.

A cidade abriga mais de 1.100 indústrias de diversos setores, 9 mil estabelecimentos comerciais, quase 20 mil de serviços e cerca de 2.400 produtores rurais. Mas mesmo com o maior Produto Interno Bruto (PIB) do Alto Tietê, está em quarto lugar em renda per capita, abaixo de Arujá, Guararema e Poá, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A população economicamente ativa é de cerca de 112 mil cidadãos, que representa 25% dos moradores da cidade. Em outros centros do mesmo porte, esses números chegam a 45%.

Para melhorar o quadro, Melo defende a necessidade de implementar um programa de troca de informações e de treinamento voltado a melhor qualificação de cerca de 40 mil pessoas, em programas de formação técnica, universitária e para o empreendedorismo, de forma que os trabalhadores estejam prontos para as oportunidades que surgirão. A ideia é envolver empresários, entidades de classe, universidades, sindicatos e poder público.

Na opinião dele, essa uma meta que interessa a todos, já que a maior parte dos empreendedores mantém família e vínculos com o município. “Quero fazer um convite para que vocês participem mais da cidade e dessa mudança que precisamos fazer com o esforço de todos os empresários e empreendedores, cada um na sua função, no seu segmento, no seu nicho, dentro de sua particularidade, para que possamos estar unidos nesse propósito de desenvolver a cidade”, argumentou.

O prefeito disse que a Prefeitura vai atuar como facilitadora, mas alega que o envolvimento da sociedade é fundamental. “Outras cidades do mesmo porte de Mogi seguem por um caminho melhor do que o nosso. Fico pensando: por que não conseguimos trazer mais indústrias para a cidade? Se fizermos uma análise podemos observar que a cidade oferece boa estrutura e qualidade de vida. A saúde e educação são bem avaliadas. Mogi é a melhor cidade do Alto Tietê do ponto de vista de segurança. Temos ótima localização, universidades e um povo trabalhador, mas precisamos avançar para deixar a a cidade mais atraente, e isso depende de todos”, ressaltou.

Na apresentação do projeto, o diretor do Departamento de Desenvolvimento Econômico e Social da Prefeitura, Claudio Costa, destacou os problemas de estagnação na economia local e defendeu a necessidade de uma ação conjunta para “colocar Mogi definitivamente no radar do desenvolvimento econômico e social do país”. Porém, ele disse aos empresários que é difícil falar em desenvolvimento se não houver disposição em pagar melhores salários para elevar o poder aquisitivo da população.

Segundo ele, é preciso melhorar a renda para desenvolver o comércio, os serviços e toda a cidade, que é favorecida com uma economia diversificada. “Precisamos colocar tudo isso em prática, um conversar com outro e fomentar oportunidades de negócios. A nossa estratégia é ajudar as empresas para que reformulem seus processos industriais, revisem seus produtos e com isso gerem empregos com melhor qualificação”, disse.

Antes de encerrar o evento, Melo assinou termo de adesão a dois programas do Sebrae na cidade: o Plano de Desenvolvimento Local e o projeto Contrata+1.

Meta é criar 10 mil empregos até 2021

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Social, Clodoaldo de Moraes, informou que além dos programas e plataformas digitais que serão oferecidas no programa Desenvolve Mogi, a Prefeitura promoverá eventos para fomentar o projeto e estimular a participação dos agentes envolvidos nas propostas que visam a criação de 10 mil empregos até 2021 e a requalificação de 40 mil profissionais.

Na programação se destacam a Jornada Empreendedora, Programa de Formação, Fórum de Trabalho e Renda, Fórum de Capital Humano, Fórum de Empreendedorismo, Fórum de Inovação e Fórum Econômico, em datas a serem agendadas.

A Jornada será um encontro de profissionais interessados em investir para discutir temas relativos ao empreendedorismo e casos de sucesso. No evento, acontecerá o lançamento dos programas de Desenvolvimento Local (PDL) e Contrata +1, do Sebrae.

Haverá eventos para estimular a troca de informações, que possam facilitar o processo produtivo e otimizar os trabalhos.

Deixe seu comentário