Quase um terço dos jovens e servidores testa positivo para a Covid-19 na Fundação Casa de Itaquaquecetuba

DIÁRIO

Quase um terço dos servidores e adolescentes testa positivo para a Covid-19 nas duas unidades da Fundação Casa de Itaquaquecetuba. Os resultados foram divulgados pelo Governo do Estado. Realizaram o teste rápido, 247 pessoas, sendo 140 servidores, 36 profissionais terceirizados e 71 jovens.  Hoje, todos os casos confirmados, segundo a instituição, são assintomáticos. Porém, sete adolescentes tiveram os sintomas da doença e, esse quadro, motivou a testagem.

Apresentaram o novo coronavírus 41 trabalhadores (32 servidores públicos e nove terceirizados) e 26 adolescentes, ou seja, 67 pessoas, 27,1% do total. No restante – 180 pessoas (72,8%) – a análise teve o resultado negativo para a doença.

A Casa Itaquaquecetuba possui 46 internos, e a Terra Nova, 25. Segundo a Fundação Casa, a capacidade das unidades é de 64 e 40 internos, respectivamente. No site da entidade, esses números não são divulgados (www.transparencia.fundacaocasa.sp.org.br).

O rastreamento da doença resulta de uma ação entre a Fundação Casa e o Instituto Butantan. Serão aplicados testes rápidos em outros centros de internação temporária ou plena do Estado.

As pessoas com resultado positivo serão submetidas, agora, ao teste PCR, para a confirmação do diagnóstico.

Em nota, o Governo do Estado afirma que não há nenhum frequentador dos dois centros internado.

A investigação foi realizada após sete adolescentes apresentarem “os sintomas de gripe”. Ontem, destaca nota da Fundação Casa, “os mesmos já não apresentam sintomas gripais e todos os demais jovens e servidores testados nas referidas unidades também estão assintomáticos”. 

A Covid-19 não é uma gripe. Embora tenha sintomas parecidos, ela é provocada pelo novo coronavírus, e não o influenza, vírus que provoca a gripe.

Os trabalhadores testados positivos vão obedecer à quarentena. Já os adolescentes permanecerão isolados dentro das unidades.

Prevenção

Não houve registro de paciente em estado grave ou óbito entre os servidores e internos.

A instituição garante que os “os servidores receberam equipamentos de proteção individual (EPI) e estão orientados sobre os procedimentos de limpeza e higiene a seguir. Os profissionais também são apoiados pela equipe de saúde da sua respectiva divisão regional e pela Superintendência de Saúde da Fundação”.

Destaca ainda que os novos internos apreendidos pela Polícia e encaminhados aos Centros de Atenção Especial (CAE) são mantidos em espaços de quarentena.

Também foram reforçadas as orientações sobre os cuidados de higiene e com equipamentos de proteção individual (EPI). Os adolescentes, garante a instituição, ficam 14 dias antes de serem transferidos para qualquer centro de internação provisória.

Atividades presenciais nos centros foram suspensas, assim como as visitas dos familiares, encontros religiosos, palestras, serviço voluntário, aulas da educação escolar com professores da rede pública estadual e cursos e oficinas executados por organizações sociais parceiras.

As saídas externas dos adolescentes foram eliminadas, exceto nas situações de urgência e emergência.

Não foi divulgado, apesar de solicitado por O Diário, ontem, quando essas informações começaram a ser apuradas, o quadro completo de servidores e terceirizados que atuam nesses dois serviços.


Deixe seu comentário