ARTIGO

Que falta faz podermos reclamar

Diego Cápua

Que falta faz podermos reclamar. Se fossem os tempos de outrora, hoje já estaríamos nas rodas do café criticando alguma pessoa que teria oficializado a sua candidatura e que estaria começando a tentar, de todas as formas, chamar nossa atenção e assim ganhar alguns dias a mais para fixar sua imagem na cabeça do pobre eleitor. Possivelmente já estaríamos vendo por aí aquele pré-candidato caricato, fazendo comentários sem pé nem cabeça, ou aquele que se apresenta como revoltado e resolve atacar um ou outro que teria anunciado a sua pré-candidatura, numa onda que se manteria até o dia do pleito.

Alguns aspirantes a vereadores, por esse nosso Brasil a fora, já estariam fazendo promessas que não deixariam sequer um boi dormir, talvez prometendo mudar uma cláusula da Constituição, nos levando a dar risada mas também nos deixando com medo, pois, vai saber se ele não consegue se eleger?

Estaríamos reclamando dos atuais gestores, lembrando de alguma promessa que não foi cumprida, de algum escândalo que teria surgido durante o mandato, ou ficando satisfeitos com alguma acusação surgida do nada justamente nesse período que antecede o registro das candidaturas. Também estaríamos criticando as inaugurações de obras e as andanças que os atuais mandatários fariam nessa época, pois somos seres que gostamos de mostrar a insatisfação.

Faz falta reclamar. Faz falta porque, criticando, rindo, se assustando com um absurdo ou mostrando o descontentamento com obras ou com promessas descumpridas, nós estaríamos discutindo a política da nossa cidade. Já começaria, em parte da população, uma preocupação em escolher o que pode ser melhor, sob o ponto de vista pessoal, para sua comunidade, algo essencial para uma melhoria da administração pública. Porém aqui estamos. Presos por causa da Covid-19.

Que falta faz, podermos reclamar!

Diego Cápua é advogado


Deixe seu comentário