NOVO CORONAVÍRUS

Ranking mostra cidades mais vulneráveis à pandemia de Covid-19

MEDIDA Em Mogi das Cruzes, a vulnerabilidade é confirmada pelo registro de casos em regiões como Jundiapeba. (Foto: arquivo)

Desenvolvido pelo Instituto Votorantim em parceria com a Gove, o Índice de Vulnerabilidade Municipal (IVM) mapeou a situação da Covid-19 nos municípios brasileiros. Os dados variam de 0 a 100 pontos, indicando que quanto maior o valor do índice de um determinado município, mais vulnerável e suscetível ele está com relação aos impactos da doença. No ranking do Alto Tietê, Mogi das Cruzes aparece em quarto lugar entre as menos vulneráveis, com 50,18 pontos. (veja quadro com a pontuação regional).

O IVM é composto por dezoito indicadores distribuídos em cinco pilares temáticos. Um deles é a “População Vulnerável”, que mostra o grau de exposição e sensibilidade da população municipal em relação à pandemia. Neste quesito, Mogi ficou com 34,52 pontos. Como contraponto, na “Economia Local”, que analisa o nível desenvolvimento econômico dos munícipes, a cidade ficou com 73,66 pontos.

Em “Estrutura do Sistema de Saúde” é analisada a capacidade de equipamentos de saúde da cidade no combate ao novo coronavírus. A pontuação municipal neste quesito foi de 81,01. A “Organização do Sistema de Saúde” tem como objetivo identificar os aspectos relevantes neste aspecto e Mogi ficou com 40,85. A “Capacidade Fiscal Administração Municipal”, que avalia a competência da Prefeitura em direcionar recursos financeiros para minimizar os problemas, ficou com 24,46 pontos.

Arujá aparece em primeiro lugar como a menos vulnerável do Alto Tietê, com 46,42 pontos. A média foi obtida após a cidade atingir 33,37 no quesito População Vulnerável; 43,28 em Economia Local; 61,19 em Estrutura do Sistema de Saúde; 46,10 em Organização do Sistema de Saúde e 56,51 em Capacidade Fiscal Administração Municipal.

Guararema é a segunda entre as menos suscetíveis aos riscos da doença, atingindo os 49,35 pontos. O índice foi alcançando tendo a População Vulnerável 34,52 pontos; a Economia Local 73,66; Estrutura do Sistema de Saúde 81,01; Organização do Sistema de Saúde 40,85 e a Capacidade Fiscal Administração Municipal outros 24,46.

Santa Isabel foi a terceira avaliada como menos vulnerável, onde a População Vulnerável obteve 36,77 pontos; a Economia Local 73,80; a Estrutura do Sistema de Saúde 61,19; a Organização do Sistema de Saúde 41,58 e a Capacidade Fiscal Administração Municipal 55,98. Os números foram responsáveis por um IVM de 50,12.

Já Biritiba Mirim foi a pior avaliada na Região. Com 63,79 pontos,a cidade foi considerada a mais suscetível aos riscos da Covid. Os dados setorizados apresentaram pontuação alta, o que fez com que essa média fosse obtida. A População Vulnerável – com 35,80 – foi o número mais baixo. No mais, todos os outros ultrapassaram os 70 pontos, ficando a Economia Local com 77,66; a Estrutura do Sistema de Saúde com 74,48; a Organização do Sistema de Saúde com 82,49 e a Capacidade Fiscal Administração Municipal com 72,74.

Os dados de todos os municípios do Alto Tietê estão disponíveis no link institutovotorantim.org.br/municipioscontraocorona/ivm/.

IVM permite comparar o total de óbitos

Além de apresentar o Índice de Vulnerabilidade Municipal (IVM) durante a pandemia do novo coronavírus, a ferramenta desenvolvida pelo Instituto Votorantim em parceria com a Gove mostra também os principais dados da Covid-19 em cada uma das cidades analisadas. A última atualização nas informações foi feita na última quinta-feira e mostrava Mogi das Cruzes com 2.498 casos confirmados, o que representa um índice de 5,60 confirmados por mil habitantes.

Com uma população de estimada em 445.842 habitantes em 2019, o índice de óbitos ficou em 0,41 por mil moradores, tendo 185 mortes pela doença registradas até aquela data. Biritiba Mirim, que até a data tinha oito óbitos pelo novo coronavírus, apresentou a menor taxa do Alto Tietê, com 0,25 mortes por mil habitantes. A cidade de 32.598 moradores tinha até então 88 casos, sendo 2,7 por mil habitantes.

Em Guararema, a população é semelhante: são 29.798 moradores. Ainda assim, os números por lá são um pouco piores. Até quinta 12 mortes pela enfermidade haviam sido registradas, representando 0,40 óbitos por mil habitantes. Já os casos confirmados eram 163, um índice de 5,47 por mil habitantes.

Na Região, a cidade com piores indicadores foi Santa Isabel. Com uma população relativamente pequena, são 57.386 moradores, 450 casos já haviam sido confirmados até o último dia 9. Sendo assim, o índice é 7,84 infectados por mil habitantes. Os óbitos ficaram em 0,71 considerando a mesma quantia de moradores, com 41 mortes pela doença.

Índice de Vulnerabilidade Municipal
Município IVM
Mogi das Cruzes 50,18
Arujá 46,42
Biritiba Mirim 63,79
Ferraz de Vasconcelos 57,33
Guararema 49,35
Itaquaquecetuba 58,93
Poá 60,37
Salesópolis 57,33
Santa Isabel 50,12
Suzano 54,29
Fonte: Instituto Votorantim


Deixe seu comentário