Reconduz quem, reprova quais?

Eles são 23 cidadãos, dentre os quais há 20 homens e três mulheres. No dia 2 de outubro, primeiro domingo do mês, alguns terão o que comemorar; outros, lamentarão. Nas eleições deste ano, pela qual todos devem tentar renovar seus mandatos de vereador, será o momento de o eleitor mogiano decidir: reconduz quem, reprova quais?

Importante saber quais dentre os vereadores que, em breve, estarão a implorar o voto do eleitor desta Cidade merecem, novamente, um voto de confiança. As últimas notícias que nos chegam da Câmara Municipal em nada os enobrecem. A começar do presidente. Ele diz ter recebido um abaixo assinado com 33 subscritores para impor alterações no zoneamento da Vila Oliveira. Lembremo-nos que, dentre os supostos signatários, alguns nos informaram – e nós a nossos leitores – absoluto desconhecimento acerca do papelote.

Agora, essa mesma Câmara Municipal se vê em um imbróglio sobre o uso de veículos colocados à sua disposição. Apanhada com a mão na botija em decorrência das infrações de trânsito, decidiu pelo caminho mais fácil. E tal qual o traído que retira o sofá da sala, escondeu as placas regulares em chapas de representação. Deu-se mal: por pressão judicial, acionada após denúncia feita pela sucursal de Mogi do portal g1.globo.com, teve de retornar às antigas.

Bom que o eleitor mogiano saiba quanto nos custa tudo isso: este ano, o orçamento administrado pelo atual presidente da Câmara Municipal beira R$ 30 milhões. O que equivale a quase R$ 2,5 milhões por mês (em números exatos: R$ 2.490.583,33). Ou seja, R$ 83 mil por dia, quase R$ 3,5 mil por hora.

Curioso e até revelador que o atual presidente da Câmara Municipal, pego no contrapé com a simplória questão dos veículos oficiais, nada fale sobre a questão da transparência. O mesmo portal da Prefeitura Municipal de Mogi, que oferece link para o da Câmara Municipal, oferece ao comum dos mogianos a possibilidade de consultar, em tempo real, quaisquer dados da administração municipal. No portal da Câmara, pelo contrário, há um emaranhado de buracos negros.

Exemplo claro disso é a página referente aos funcionários da Prefeitura e os da Câmara: no da Prefeitura sabe-se, em tempo real, quanto cada um dos servidores recebeu de salário no mês anterior. No da Câmara o que existe é um quadro com salários iniciais e o subsídio atual dos vereadores (R$ 12.163,65). Nada mais.


Deixe seu comentário