SOCIAL

Rede Feminina de Combate ao Câncer inova e festeja os 59 anos

PARCERIA Fábio Dan fornece as flores que serão vendidas nesta quinta-feira, dia do aniversário da Rede Feminina. (Foto: Eisner Soares)

A Rede Feminina de Combate ao Câncer Guiomar Pinheiro Franco completa 59 anos amanhã com uma ação solidária – a venda de 100 orquídeas, em uma parceira com o produtor de flores Fábio Kazunori Dan um dos novos apoiadores que se aproximou da entidade durante a pandemia. Desde março, os eventos beneficentes presenciais que garantem o atendimento a 110 crianças e 80 adultos portadores de câncer foram suspensos, mas a rede de doadores se manteve com a realização de alternativas como leilões online e lives solidárias.

Ao contrário do esperado, aliás, segundo Tannynha Montà, diretora de Relações Públicas, Empresariais e de Marketing, as metas mensais para os custos da entidade foram mantidas neste ano. “Nós tivemos, inclusive, um aumento de benfeitores, com algumas pessoas ampliando o valor das doações. Para nós, isso se deve à tradição da Rede Feminina e o entendimento da comunidade sobre o que esse trabalho representa para os pacientes, muitos deles, muito carentes”.

Além da subvenção municipal de cerca de R$ 3,9 mil, a entidade conta com os eventos sociais para chegar aos cerca de R$ 20 mil necessários para a compra de cestas básicas, suplementos, leite, fraldas e curativos doados a 190 pessoas.

O dia de entrega desses kits é o único no mês que a sede da Rede Feminina abre as portas, com a autorização da Prefeitura e a adoção de cuidados sanitários. Essa data é cumprida apenas pelas voluntárias que não fazem parte do grupo de risco – a maioria das integrantes possui mais de 60 anos.

Segundo Tannynha, não houve, nesse período, a redução no número de atendidos. Ou seja, a desarticulação dos serviços de saúde, por causa do isolamento social e as atenções à Covid-19, parece não ter alterado o ritmo de diagnósticos de câncer.

O grupo de voluntárias sente a falta dos bazares e dos chás beneficentes, uma marca da mobilização que está a caminho de comemorar os 60 anos de atividades em defesa do paciente com o câncer. Mas, não se desmobilizou. “Esse é um ponto muito importante”, reforça a diretora.

Nas seis décadas da obra iniciada por Guiomar Pinheiro Franco, milhares de pessoas foram assistidas com o transporte e o suporte para o tratamento, além de palestras e informações sobre a prevenção e o diagnóstico precoce.

Parceria

A venda e a entrega das orquídeas, amanhã, a partir das 9 horas, atenderão às normas impostas pelo Plano São Paulo e acontecerão na casa da vice-presidente, Eugência Atuí, localizada à rua José Urbano Sanches, 416, na Vila Oliveira. Os valores são a partir de R$ 16. Metade dos recursos arrecadados serão destinados ao caixa da Rede Feminina, o restante, ficará com o produtor.

Fábio Dan lembra que a primeira doação ocorreu na fase mais aguda da baixa das vendas de flores, entre março e abril, quando o fechamento de floriculturas e lojas especializadas em jardinagem afetou duramente o setor. Com o excesso de flores no ponto de venda, entidades receberam unidades para evitar o desperdício. Hoje, setores como o de flores de corte ainda estão operando no vermelho. Mas, no caso de Dan, que vende vasos, a reabertura das lojas e feiras voltou a movimentar o segmento.


Deixe seu comentário